Marky Ramone’s Blitzkrieg, Eficiência & Pureza

Marky Ramone’s Blitzkrieg, Eficiência & Pureza

2018-10-11, Hard Club, Porto
Ricardo Rego
Surfin' Bird
9
  • 10
  • 9
  • 8
  • 9

Fosse Marky Ramone o baterista original dos Ramones e poder-se-ia dizer que era o Ringo Starr dos outcasts, uma autêntica lenda viva! Que prazer foi ter a oportunidade de o ver ao vivo a tocar punk rock do bom.

Nunca me passou pela cabeça ver os Ramones ao vivo, não só porque só comecei a ir a concertos em ’97, um ano depois do último concerto da banda, mas também porque nenhum dos membros originais da banda ainda está vivo. O Joey morreu com um linfoma em 2001, o Dee Dee com uma overdose em 2002, o Johnny com um cancro em 2002 e o Tommy, também de cancro, em 2014. Estes Marky Ramone’s Blitzkrieg não são, literalmente, os Ramones, mas são definitivamente o mais perto que há e haverá.

Em palco, além de Marky Ramone (66 anos… SESSENTA E SEIS ANOS), estão o argentino Martin Sauan no baixo, o espanhol Iñaki Urbizu Azaceta na voz, ambos com uma postura incrível, e o guitarrista Greg Hetson, outra lenda viva do punk rock. Pouco tempo depois de Marky Ramone ter entrado para os Ramones, para substituir o Tommy Ramone, o Greg Hetson formava os Redd Kross. Ponto de partida para uma vida dedicada ao punk rock em que foi também membro fundador dos Circle Jerks e, mais tarde, membro dos Bad Religion, onde ainda hoje toca. Em palco o baterista da banda de punk rock mais influente de sempre e o guitarrista de uma das melhores e mais interessantes bandas de punk rock de sempre. Estava lançado o mote para uma grande noite.

Foi um concerto de extrema eficiência. Zero produção, poucas paragens, só duas, uma antes do encore e outra para Marky Ramone expulsar um fã mais agressivo da sala, e umas 29 músicas (mais coisa, menos coisa) numa hora de concerto. Descarga energética de hit atrás de hit, com o público a ter tudo a que tinha direito com “I Just Want To Have Something To Do”, “I Wanna Be Your Boyfriend”, “California Sun”, “I Wanna Be Sedated”, “Now I Wanna Sniff Some Glue”, “Sheena Is A Punk Rocker”, “Pet Sematary”, “Judy Is A Punk”, “I Believe In Miracles”, “Havana Affair”, as covers “Spider-Man”, “Surfin’ Bird”, “Have You Ever Seen The Rain?”, “What A Wonderful World” e um final apoteótico, com “Blitzkrieg Bop”, que mandou a casa abaixo.

Bom ambiente no público numa Sala 2 do Hard Club composta, mas longe de estar cheia. O que não deixou de ser uma surpresa tendo em conta o número de pessoas com t-shirts dos Ramones que se vê na rua… A não ser que as pessoas que as usam o façam não pela música, mas por causa das bloggers da moda…

Música alta, rápida, sem arranjos nem truques e tão simples que se tornou complexa. Foi uma grande noite e que bem que soube. Hey Ho! Let’s go!

Fotos tiradas no concerto no RCA CLUB em Lisboa. Para visualizares a galeria completa, clica aqui.