8

Marvel Lima

Marvel Lima

Pontiaq, 2016-10-14

EM LOOP
  • Mariposa
  • Niebla
  • Fever
Hugo Tomé

Como Sócrates (ou terá sido, na verdade, Plutarco?) um dia disse: «Não sou nem ateniense, nem grego, mas sim um cidadão do mundo». Pois bem! Musicalmente falando, pela mesma ordem de ideias, os Marvel Lima não são nem alentejanos, nem portugueses, mas sim uma banda do mundo. E porquê?! Primeiro porque cantam e dão nome a canções em português, castelhano e inglês. E, segundo, porque bebem influências do Velho e do Novo Continente fazendo com isso um curioso e multifacetado disco.

Do Alentejo para o mundo. Os Marvel Lima têm um disco giro como tudo.

Curioso e multifacetado disco porque, a juntar à diversidade de palavras e idiomas que apresenta, “Marvel Lima” (homónimo) reúne uma amálgama de estilos e feitios que vão do pós-punk ao psicadelismo, do funk aos ritmos latinos. Ao mesmo tempo que tem guitarras e sintetizadores, tem percussões e congas. Ao mesmo tempo que tem alucinação e nostalgia, tem mudanças de andamentos e groove. E tudo com a maior naturalidade e à vontade. Tudo com alta definição e qualidade.