7

Myrkur

Folkesange

Relapse Records, 2020-03-20

EM LOOP
  • Ella
  • Leaves Of Yggdrasil
  • Gudernes Vilje
Nero

Em “Folkesange”, que estreou no dia 20 de Março de 2020, através da Relapse Records, Myrkur renúncia ao black metal na procura de ambientes cada vez mais folk e mais tradicionais.

Myrkur, Amalie Bruun se preferirem o verdadeiro nome, sempre percorreu um caminho singular capaz de desafiar noções pré-concebidas dos estilos mais pesados do underground. Agora, após ter sido mãe, Bruun encetou uma viagem ao coração da cultura escandinava que modelou a sua própria infância.

Contos, ritos de passagem e a invocação da continuidade que atravessa gerações e tempo, são componentes da tapeçaria da música folclore e “Folkesange” possui todos estes elementos na sua essência. De certo modo, o álbum é uma abordagem purista ao folclore musical escandinavo, livre de dramatismo excessivo nas interpretações e fusão sónica. Ao invés, a delicada e emotiva voz de Bruun surge envolvida por violino, piano, lira e o tradicional cordofone sueco, a nyckelharpa.

Também o Kulning, uma tradicional e ancestral forma de canto de pastoreio dos países nórdicos, é explorado o mais próximo possível das suas delimitações originais.

Em “Folkesange”, o passado é feito presente, mas o álbum não é meramente uma peça de museu e é capaz de ressoar no agora, através da produção panorâmica de Christopher Juul. Soando amplo e intimista, o disco emana um certo sentido reverencial, harmonicamente preenchido pelos drones de cordas, um corpo rítmico melancólico e essa suavidade vocal capaz de nos transportar para outras eras e fazer florir associações a um nível elementar e, ao mesmo tempo, transcendental.

Por isso, “Folkesange” é uma experiência imersiva e, por completa casualidade, a mensagem que transporta de tempos em que a vida era concretizada de forma mais simples e modesta tem uma tremenda acutilância nestes estranhos tempos de pestilência que muitos, paranóicos ou não, afirmam ser cármica.