Japandroids, Dois Fazem Barulho de Quatro

Japandroids, Dois Fazem Barulho de Quatro

2018-07-13, Passeio Marítimo de Algés, NOS Alive
António Maurício
Inês Barrau
8
  • 8
  • 6
  • 8
  • 7

Com uma directa em cima do corpo, o duo do Canadá não perdeu o ímpeto e a perícia que justificam as várias presenças em Portugal.

Brian King (guitarra, voz) está sempre em iminência de implosão. Em contraste ao foco evidente do parceiro David Prowse (bateria, voz de apoio), Brian entra em palco com o cabelo em água, projecta a voz até avistarmos veias no pescoço e cospe com agressividade para trás de si. O território lusitano não lhes é desconhecido: marcaram presença no NOS Primavera Sound e num par Vodafone Paredes de Coura, é a segunda performance no NOS Alive (a primeira em 2013) e o vídeo de “North East South West” inclui paisagem portuguesas.

Equipados com apenas uma guitarra e uma bateria em todas as faixas, projectaram energicamente a sua fusão característica de rock clássico com punk rock. “Near to The Wild Heart of Life” foi a primeira dose, na companhia de breaks mais prolongados em comparação à versão de estúdio. Estes silêncios curtos são frequentes, e antecipam e avolumam a explosão instrumental que se dá em seguida. Estiveram igualmente presentes em faixas como “Younger Us” ou “Heart Sweats”, mas nunca caíram no enfadonho.

De destacar ainda, em “Heart Sweats”, o implacável groove da bateria do início ao fim que, em conjunto com a entrega vocal, resultou na melhor prestação de toda a performance. O sincronismo entre os dois músicos é contagiante. Transpiram um genuíno sentimento de amizade que é comunicado com o olhar e exemplificado com a entrada pontual do baterista na parte vocal. Brian canta o verso e David completa com um ad lib melódico. Nunca falham.

«Está a ser uma noite muito longa, viemos directamente do Mad Cool», revelam perto do final. O duo esteve há menos de 24 horas no festival espanhol e sem dormir (devido a problemas de transporte), aterraram directamente no Palco Sagres. Contudo, a privação de sono não foi detectável até à recta final. A última faixa e o grande hino do duo, “The House That Heaven Built”, apresentou desgaste vocal mas tendo em conta as circunstâncias, é compreensível.

Se não nos tivessem contado não acreditávamos.

SETLIST

  • Near to the Wild Heart of Life
    International
    Fire’s Highway
    Heart Sweats
    North East South West
    Wet Hair
    No Known Drink or Drug
    Younger Us
    Alice
    The Nights of Wine and Roses
    The House That Heaven Built