8

Parquet Court

Light Up Gold

What’s Your Rupture?, 2013-08-18

Hugo Tomé

E que tal, pegar nas guitarras, ir tocar para um anexo qualquer, comer “fast-food”, fumar umas “m*****” e beber cerveja quente. Não sei se foi assim que nasceu Light Up Gold, mas se não foi, podia ter sido.

Os Parquet Courts são aquele tipo de gajos porreiros que andaram muito tempo sem fazer nada, a fazerem alguma coisa. Da mesma maneira que há vinte anos Kurt Cobain e companhia popularizaram o termo “slacker”, este quarteto sediado em Brooklyn NY revisitam-no, menos deprimidos, mais divertidos, menos oprimidos, mais extrovertidos, pois também pudera, em Seattle chove o ano inteiro e quem vem do Texas sabe lá o que isso é.

O que Andrew Savage e Austin Brown sabem é como andar desgraçados por Ridgewood Queens, e contá-lo no embalo-pedrada-malhão, “Stoned and Starving”. Ou então, enquadrar histórias simples com métrica-humor-astúcia em sequência rítmica palpitante-clássica-velhaca, “Master Of My Craft”, “Borrowed Time”, “Donuts Only” e “Yr No Stoner”. Ou ainda, incorporar a temática-reflexão-coisas da idade na composição da primeira-engenhosa-grãn-fina longa vez, Light Up Gold.

E chega! O que era preciso mais?! Gajos porreiros a partilharem “stonadas” e ressacas, coisas sérias e palhaçadas, sem snobismos e pretensiosíssimos em música como a que se aprende na primária, no sentido em que se ouve uma vez e nunca mais se esquece. Isso não chega?! Light Up Gold, diz que sim!