Ramp

2011-09-10, Side B, Benavente
Redacção

Foi perto da meia-noite que se ouviu o primeiro som de guitarra e se realizaram os últimos pormenores do teste de som. Em poucos minutos o espaço ficou composto. RAMP (origem nas iniciais dos nomes dos membros fundadores: Ricardo, António, Miguel e Paulo), são uma banda de Metal formada em 1989, no Seixal e obteve o seu grande sucesso comercial com a faixa “For a While”. Já fizeram primeiras partes de grandes bandas, tais como Sepultura, Metallica, e mais recentemente participaram no Rock In Rio 2010, onde partilharam o palco com Hail. O seu último álbum, “Visions”, foi lançado há dois anos, e foi no MusicBox em Lisboa que deram início à tour de lançamento do mesmo, a “Subversion Tour”.

O concerto ia começar. O som de “Blind Enchantment” encheu o espaço já recheado de fãs, dando início a um concerto de grande intensidade, seguida de “Insane”, “How”, “Single Lines” e “Dawn”. Continuando a dar prioridade ao último álbum, “Visions, foi com a pergunta “Estão com frio?” que Rui respondeu “Eu estou” e deu entrada para a música “The Cold”. Após “Clear” e “Follow You”, Rui fez a apresentação para a música “Mith” com uma dedicatória a todos aqueles que querem aparecer nas revistas cor de rosa e apenas se preocupam em ser famosos – e ao longo da música foi fazendo poses e expressões, satirizando o mundo da fama instantânea.

Seguiu-se um momento mais calmo com “Alone”, começando a partir daí a viagem pelos temas mais antigos da banda. Em “Hallelujah” o público recomeçou a aquecer e acabou por fazer o primeiro mosh da noite na música seguinte, “Anjinho da Guarda”. A partir deste momento, já todos os membros da banda, com a excepção do vocalista, tocavam sem t-shirt e a zona em frente ao palco era reservada para o mosh e crowdsurfing enquanto tocavam “Drop Down”, “All Men Taste Hell”, “Noone”, “Come”, “Thoughts” e “Black Tie”, sempre com grande intensidade e participação do público, que cantava e gritava “não” sempre que o vocalista perguntava se estavam cansados. Ao agradecerem o convite para a festa de aniversário do Side B, revelaram que também o guitarrista Ricardo Mendonça fazia anos. E tocaram “Through” e saíram do palco.

O público queria mais e não se fez silêncio enquanto a banda não voltou a subir ao palco, que nesse momento tinha já quatro bancos alinhados. A surpresa da noite, reservada para os fãs, estava à nossa frente. Uma música que não tocavam há alguns anos e que foi tocada com os seus membros sentados, “For a While”. Foi um dos momentos altos da noite. Seguiu-se ainda a sua versão de “Walk Like an Egyptian”, original das Bangles, que incluiu os solos de Ricardo Mendonça e Tó Pica nas guitarras, seguido de um solo de bateria de grande intensidade pelo Paulinho. Ainda no Encore, tocaram a música “Ace of Spades”, dos Motorhead, relembrando o momento em que o fizeram no Rock in Rio, com os Hail.

E terminaram a actuação com “Try Again”.

Por Miriam Mateus | Fotos Nádia Dias