The Mission @ TMN ao Vivo

The Mission @ TMN ao Vivo

2011-10-15, TMN ao Vivo, Lisboa
Nero

“Beyond The Pale” é uma grande entrada para qualquer concerto, atmosférica, densa, melódica, e apresenta todos os pressupostos que fazem o som dos The Mission, carregado com synths, a guitarra de doze cordas de Hussey, o som molhado de efeitos de Simon Hinkler, com o ritmo directo que o primeiro e o baixista Craig Adams transportaram dos Sisters Of Mercy.

Essas características estéticas foram um problema para o som da sala no antigo armazém F que esteve sempre muito enrolado, devido ao processamento que a banda usa, e foi muitas vezes difícil distinguir as linhas manifestadas pelos instrumentos ou até mesmo perceber claramente Hussey, quando este se dirigia ao público.

Uma sala a rebentar pelas costuras e com um entusiasmo que levou Hussey a suspeitar “What drugs are you on?”, mas diria que o motivo é mesmo o equilíbrio distinto da banda entre os outros dois baluartes do género, com a força do rock directo dos Sisters Of Mercy e com o misticismo pós-apocalíptico de Fields Of The Nephilim. Os The Mission cumprem a missão de fazer ponte entre dois mundos e isso reflecte-se numa sonoridade que sempre foi acolhida do punk ao mundo gótico, do metal à pop.

Com um álbum novo feito pela tríade original já anunciado, mas ainda não concretizado, este foi um concerto de nostalgia, com a visita ao catálogo clássico da banda a fazer o público explodir em temas como “Stay With Me”, “Severina”, “Butterfly On A Wheel”, “Into The Blue”, “Wasteland” ou “Deliverance” que deixou a sala a aclamar a banda até Hussey surgir para, sozinho, tocar algo que nada tem a ver com o que foram os Mission no seu início, “Like A Child Again”, e já que o frontman estava no seu momento Neil Young, a banda tornou a surgir no palco para a versão de “Like A Hurricane”. “Tower Of Strengh” sim, é The Mission clássico e encerrou o encore que daria direito a nova aclamação e uma segunda vinda com “Blood Brother” em mais uma visita ao primeiro álbum da banda.

Foi um concerto com uma atmosfera fantástica, a banda ainda poderá estar a procurar a sua melhor forma, mas os temas clássicos de e a voz carismática de Hussey, que continua numa grande forma, valeram bem o bilhete. Fica-se à espera do que o trio original poderá agora fazer em estúdio, com a sensação de que o público da banda estará mais interessado em nostalgia…