Vampire Weekend, o Palco Principal é Vosso

Vampire Weekend, o Palco Principal é Vosso

2019-07-12, Passeio Marítimo de Algés, NOS Alive
António Maurício
Inês Barrau
8
  • 8
  • 9
  • 8
  • 6

Com a responsabilidade de cabeças de cartaz às costas, afirmaram a força dos seus maiores hits, concretizaram o pedido de um fã e tocaram Bob Dylan.

No segundo dia do NOS Alive’19, os Vampire Weekend sofriam a pressão do palco principal. Seriam capazes de acompanhar a experiência dos The Cure (review aqui) ou dos Smashing Pumpkins, os outros cabeças de cartaz? A diferença em termos de tempo em estrada é amplamente diferente e certamente significante. Por outro lado, existia um termo de comparação, o concerto no palco secundário neste mesmo festival em 2013. Um globo terrestre gigante bem no centro do palco decorava a casa da banda de Nova-Iorque durante a próxima hora e meia e referenciava o novo álbum, “Father of The Bride”. A performance foi justamente repartida entre toda a discografia produzida e não se focou maioritariamente no novo trabalho. Uma decisão acertada, porque a plateia respondia com maior apego às glorias iniciais.

“White Sky” deu início ao teste, com o instrumental em crescendo a despertar o movimento de mais público para uma plateia significativamente mais vazia em confrontação com a noite anterior. Seguiu-se “Unbelievers” e “Cape Cod Kwassa Kwassa”, e nestas três primeiras amostras recebemos um som bem definido, em níveis de volume e de mistura, tanto dos instrumentos como da voz de Ezra Koening que enchiam as medidas de qualidade. Trabalho vocal igual ao que ouvimos nos discos. Na produção sonora, a qualidade estava assegurada até ao fim do concerto – tirando um episódio periódico onde os graves aumentaram em demasia.

Pela quarta música, com a plateia bem mais composta, recebemos música do novo álbum, “Bambina” com groove leve e alegre. “Sunflower” continuou o caminho das novidades, marcada pelo excelente ritmo das duas guitarras eléctricas em palco, um solo a meio (que não está incluído na versão de estúdio) por Brian Robert Jones além de agradáveis vozes de acompanhamento de Greta Morgan, presente principalmente nas teclas. “Sympathy”, a música que deu o arranque no concerto em Glastonbury 2019, surge a meio da performance, como uma das mais interessantes ao vivo. Divide-se em duas secções, uma mais despida, menos complexa, e a parte do refrão, cheia de camadas e com uma performance vocal que continuava no ponto ideal. Foi o mote de uma transição eficiente para “New Dorp. New York” – de autoria conjunta com SBTRKT – com ambiente mais electrónico.

Mas a montanha russa de euforia chegaria com os singles dos álbuns anteriores. O seguimento de “Diane Young”, “Cousins” e “A-Punk” foi uma aposta letal.

Mas a montanha russa de euforia chegaria com os singles dos álbuns anteriores. O seguimento de “Diane Young”, “Cousins” e “A-Punk” foi uma aposta letal. São três das faixas mais reconhecidas e têm em comum uma característica essencial para concertos ao vivo. Refrões fáceis e divertidos de gritar. Sem dúvida, o maior pico de intensidade. Já a maior serenidade da noite chegou em formato de solicitação: «Alguém no Instagram quer mesmo ouvir esta música. Não sei o teu nome, mas esta música é para ti». Aprovando o pedido nas redes sociais, tocaram “Hannah Hunt”, uma valente balada, quase acústica, que desperta instintivamente um ambiente mais afectuoso.

O final da viagem deu-se com uma cover de Bob Dylan, “Jokerman”, composta por uma jam instrumental a meio da duração, “Worship You” e “Ya Hey”, onde lançaram dois globos gigantes insufláveis para a plateia se divertir a jogar voleibol de festival. Quando tudo terminou e as contas foram feitas, a sonoridade easy-going, que mistura rock com pop com refrões cativantes, foi complementada com uma produção sonora impecável que se mostrou crescida o suficiente para encabeçar o palco principal.

SETLIST

  • White Sky
    Unbelievers
    Cape Cod Kwassa Kwassa
    Bambina
    Sunflower
    Run
    Sympathy
    New Dorp. New York (SBTRKT cover)
    This Life
    Harmony Hall
    Diane Young
    Cousins
    A-Punk
    Campus
    Oxford Comma
    Hannah Hunt
    Jokerman (Bob Dylan cover)
    Worship You
    Ya Hey