Wells Valley, da Flórida a Baiona

Wells Valley, da Flórida a Baiona

2015-02-07, RCA Club, Lisboa
Nero
7
  • 8
  • 6
  • 6
  • 8

O primeiro concerto do Burning Light foi, coincidentemente, o primeiro concerto da banda, que apresentou o seu álbum de estreia, “Matter As Regent”.

Qualquer músico ou qualquer melómano batido em concertos sabe muito bem as vicissitudes de um primeiro concerto: menos dinâmica de palco, menos colagem nos temas, cuja economia em palco será refinada com as horas em cima do mesmo e, como consequência de tudo, ou como catalisador de tudo, o inevitável nervosismo.

Aqueles são factores invariáveis e transversais a qualquer músico, por mais capacidade técnica que tenha. E os Wells Valley demonstraram possuir, em excesso, essa capacidade. Mas o flow ainda sai intermitente, com a banda a procurar mostrar “tudo”. O concerto, no entanto, provou claramente duas coisas: que os Wells Valley podem tornar-se, a breve trecho, mais uma das jardas do underground português e que, ao vivo, o som da banda ultrapassa, largamente, aquele que ficou registado no disco. Mais densidade, mais groove e mais peso. Factores que redimensionam a fusão estética do pós metal Gojiresco com a execução instrumental “clínica” da cena da Flórida.

Há algo irrefutável em “Matter As Regent”, que apesar de todo o ambiente de estreia é, ainda assim, redimensionado pela maior parede sonora do palco, a pertinência de arranjos e a criatividade instrumental. Quando a banda resolver este paradigma da jarda, tão velho como o metal, a “matéria” vai ser outra.