Within Temptation

2011-09-12, Coliseu dos Recreios, Lisboa
Inês Barrau

Para aquecer ainda mais a sala do Coliseu,[era enorme o calor que se fazia sentir] os portugueses Kandia, compostos por Daniel Silva [bateria], Bernardo Lima [Baixo], André Cruz [Guitarra] e pela belissíma voz de Nya Cruz, subiram ao palco e mostraram-se um banda competente e à altura do desafio.

Às 22h apagam-se as luzes e passa a curta metragem intitulada de “Mother Maiden”. Ouve-se os primeiros acordes e entram Mike Coolen (Bateria), Martijn Spierenburg (teclas), Jeroen Van Veen(Baixo), Sharon den Adel (voz) e por fim a dupla de guitarristas Ruud Jolie  e Stefan Helleblad.

Within Temptation é uma banda que se tornou completamente mainstream, que deixou um pouco de lado as suas raízes iniciais e que chega agora a vários públicos e gerações. Os vestido longos, os folhos e os corpetes de estilo gótico de outrora ficaram em casa, e Sharon apresentou-se simples, de calças justas, botas e corpete.

“Shot In The Dark”, “In The Middle Of The Night”, “Faster”, “Lost”, foram as músicas retiradas do mais recente álbum da banda e as escolhidas para começar o concerto. O público conhece bem o novo álbum (uma aposta ganha, sem dúvida) e acompanha a vocalista cantado os refrões de todas as músicas, recentes e antigas, do início ao fim do concerto.

Sharon entrou em palco com um sorriso gracioso e boa disposição que a acompanhou durante todo o concerto.

Regressando ao passado, a banda recordou “Ice Queen”, “The Howling”, “Our Solemn Hour”  e “Stand My Ground”, que o público acompanhou em êxtase.

De seguida a banda mostra outra curta metragem, “Sinéad”, que introduz a música com o mesmo nome, que fez saltar  o coliseu e em conjunto a dupla de guitarristas e ainda Sharon. É irrepreensível a forma de estar em palco de toda a banda. Os Within Temptation mostraram que não estão ali só para cumprir o seu dever enquanto músicos e para agradar os fãs que se deslocaram e pagaram para os ver, mas também para se divertir e curtir em conjunto com o público. É bom ver músicos que têm paixão por aquilo que fazem. Ruud Jolie  não parou quieto, sempre de uma lado para o outro, a cantar, a pular , a interagir com o público e com os outros elementos da banda do início ao fim. Sharon den Adel tem uma voz potente, forte e suave ao mesmo tempo, sem grandes falhas durante o concerto e cativa o público com a sua graciosidade e simpatia.

O concerto continua com um dos maiores êxitos da banda, “What Have You Done”, no original um dueto com Keith Caputo, que no concerto foi “substituído” pelas vozes do público em uníssuo. Seguiram-se “Murder” e “Iron” e não poderia faltar “Angels” e “Memories”. Para os encores estavam guardadas “Deceiver of Fools”, “Mother Earth” e para o fim “Stairway to the Skies”.

No final ainda houve tempo para uma forte ovação de todo o coliseu, uma fotografia de grupo da praxe com o público e em troca de agradecimento alguns elementos de Within Temptation desceram ao fosso para cumprimentar os fãs da primeira fila.

Um público que esteve à altura da prestação da banda e uma banda que esteve à altura do público que os acolheu. Perfeita sintonia!

SETLIST

  • 1. Shot In The Dark
  • 2. In The Middle Of The Night
  • 3. Faster
  • 4. Lost
  • 5. Ice Queen
  • 6. The Howling
  • 7. Our Solemn Hour
  • 8. Stand My Ground
  • 9. Sinéad
  • 10. What Have You Done
  • 11. Murder
  • 12. Iron
  • 13. Angels
  • 14. Memories
  • Encore 1
  • 15. Deceiver Of Fools
  • 16. Mother Earth
  • Encore 2
  • 17. Stairway to the Skies