Bob Dylan Processado por Abuso Sexual de Menor em 1965

Bob Dylan Processado por Abuso Sexual de Menor em 1965

Redacção

Uma mulher alega que Bob Dylan abusou dela no Chelsea Hotel, em Nova Iorque, quando ele tinha vinte e poucos anos e ela 12 anos de idade.

Segundo a Pitchfork, Bob Dylan está a ser processado por uma mulher que afirma que o músico abusou sexualmente dela em 1965, quando esta tinha 12 anos de idade.

O processo foi instaurado no Supremo Tribunal do Estado de Nova Iorque a 13 de Agosto de 2021 por uma queixosa identificada como J.C..

A queixosa vive em Greenwich, Connecticut, mas instaurou o processo em Nova Iorque porque alega que o abuso ocorreu no quarto de Dylan no Hotel Chelsea, em Manhattan.

De acordo com o processo, J.C. diz ter sido «abusada sexualmente» por Bob Dylan entre Abril e Maio de 1965, quando Dylan tinha 23 ou 24 anos de idade. Ela e os seus advogados afirmam que Dylan «explorou o seu estatuto de músico ao aliciar J.C. para ganhar a sua confiança e obter controlo sobre ela como parte do seu plano para molestar e abusar sexualmente de J.C.». Alegam também que «Dylan explorou o seu estatuto de músico para fornecer a J.C. álcool e drogas e abusar sexualmente dela múltiplas vezes».

Como resultado do alegado abuso de Dylan, J.C. afirma que «sofreu e continua a sofrer de danos emocionais e físicos, incluindo, mas não só, angústia, humilhação e embaraço, bem como perdas económicas graves». A Lei das Vítimas Infantis do estado de Nova Iorque, aprovada em 2019, proporcionou uma janela limitada através da qual as vítimas de abuso sexual infantil podem apresentar queixa contra o seu agressor, independentemente do ano.

Daniel W. Isaacs, advogado da queixosa, disse à Pitchfork, via e-mail: «A queixa fala por si, e nós provaremos as nossas alegações num tribunal».

Contactado pela mesma publicação, um porta-voz de Bob Dylan partilhou a seguinte declaração: «A queixa com 56 anos é falsa e será vigorosamente defendida».

EGITANA