Cocaína Roubou Dois Anos A Mick Fleetwood Logo Após “Rumours”

Cocaína Roubou Dois Anos A Mick Fleetwood Logo Após “Rumours”

Redacção

Mick Fleetwood revela que a seguir à edição do clássico “Rumours” perdeu dois anos por causa da maldita cocaína. «Não trabalhei, nem me lembro do que fiz».

Numa entrevista publicada no mais recente número da revista Classic Rock, o co-fundador dos Fleetwood Mac, e que recentemente vendeu a sua parte do catálogo da banda, admitiu que o abuso de drogas fez descarrilar a sua vida logo após o sucesso global alcançado com Rumours, em 1977. Nas próprias palavras de Mick, a história dos Fleetwood Mac é uma história extrema. «Se a escrevesse no papel, diria: ‘Isto não é verdade, simplesmente não há maneira de ser verdade», diz o baterista de 73 anos ao jornalista Henry Yates.

A verdade é que a banda britânico-americana viveu a vida ao máximo na sequência desse estrondoso sucesso que já vendeu mais de 40 milhões de cópias em todo o mundo e do qual foram extraídos temas como “Dreams”, “Don’t Stop”, “The Chain” ou “Go Your Own Way”. No entanto, o baterista admite que se lembra de muito pouco devido à névoa provocada pela cocaína. «Estávamos bem equipados em termos de pó. É um conto de fadas bem gasto que se assemelha cada vez mais a uma história de guerra, que se agrava cada vez mais. Não estou a minimizar o facto de estarmos a participar nesse estilo de vida. Mas, mais uma vez, não era um bando de pessoas a rastejar pelo chão com espuma verde a sair das suas bocas. Estávamos a trabalhar, sabes? Mas isso continuou durante muito, muito tempo… Ficou fora de controlo após “Rumours”. Lembro-me de não ter trabalhado durante dois anos. Nem me lembro do que fiz. Eu era o ‘party animal’ da banda. Atrevo-me a dizer que Stevie [Nicks] estava em segundo lugar, muito próxima de mim».

Noutro ponto da entrevista, «abrangente e reveladora», Mick Fleetwood fala emocionadamente sobre o seu falecido amigo e companheiro de banda Peter Green, que desapareceu em Julho de 2020, com 73 anos de idade, e cujo concerto de tributo chega aos cinemas em Março. «A história dos Fleetwood Mac é sobre sobrevivência. Peter Green não estava equipado para sobreviver».

EGITANA