Duo português enche salas na China

Duo português enche salas na China

Nuno Ribeiro

Emanuel Salvador (violino) e Nuno Marques (piano), compõem o duo português de música de câmara que está a encher salas de concerto pela China dentro, realçando a “grande receptividade do público chinês” para o reportório ocidental.

Iniciaram na quinta-feira passada uma série de oito concertos em várias cidades da China, desde Dongguan, no sul, até Dalian, no nordeste do país. Emanuel Salvador resumiu, “vamos fazer 7.000 quilómetros em nove dias“.

O programa vai do século XIX à música contemporânea, nomeadamente Beethoven, Arvo Part e Piazzolla, incluindo sempre também uma composição portuguesa, de Joly Braga Santos (1924-88), e um encore com uma peça chinesa “Primavera do Xinjiang”.

«Temos tido sempre salas cheias, com 800 e até 1.000 espetadores, e ao contrário do que se vê na Europa, o público é muito jovem. Veem-se até crianças, acompanhadas pelos pais», contaram os músicos, que pelo que viram, «os chineses estão muito abertos e disponíveis para a música ocidental».

Segundo os mesmos, foram entrevistados pela imprensa local e o público pediu-lhes autógrafos e fotografias, em todos os locais onde tocaram. Mas quanto à imagem de Portugal, os chineses geralmente associam logo o país ao futebol e ao mar, segundo os músicos portugueses.

A tour foi organizada por uma agência chinesa, Joy Titan Entertainment, e termina domingo pelo o que confirmaram à agência Lusa.

Emanuel Salvador e Nuno Marques garantem que o futuro está na Ásia, “é na China, na Coreia do Sul e no Japão que estão a aparecer novas oportunidades. Na Europa, pelo contrário, estão a fechar orquestras e em termos de investimento (na música), os países europeus estão numa curva descendente“.

Há cerca de uma década  integraram o Trio Vianna da Mota, quando ambos viviam em Londres, com o qual chegaram a gravar um disco, “Recital 2002″, com Carina Albuquerque no violoncelo.

Foto: Facebook Oficial de Nuno da Silva Marques

EGITANA