Mais Excesso & Deboche, Livro Sobre Primeiros Anos do Baixista Nikki Sixx [Mötley Crüe]

Mais Excesso & Deboche, Livro Sobre Primeiros Anos do Baixista Nikki Sixx [Mötley Crüe]

Redacção

Nikki Sixx, o baixista dos Mötley Crüe, prepara-se para lançar um livro de memórias. “The First 21: How I Became Nikki Sixx” chega em Outubro, repleto de histórias e segredos de um miúdo de Idaho que um dia sonhou ser uma estrela rock.

O baixista dos Mötley Crüe Nikki Sixx compilou os seus primeiros anos num novo livro intitulado “The First 21: How I Became Nikki Sixx”. O livro de memórias será lançado a 19 de Outubro através da Hachette Books.

«Ouviram os contos do excesso e do deboche. Todos os picos e os vales que vieram com o estrelato do rock and roll e a minha vida numa das maiores bandas do mundo. Esta é a história que ainda não ouviram», declarou o músico. «É a história íntima e pessoal de como um inocente rapaz de uma quinta de Idaho com um sonho e desejo ardente – pela música, pelo amor e pela fama – se tornou Nikki Sixx. Acredito que os nossos primeiros 21 anos têm muito peso naquilo que nos tornamos. Estes são os meus primeiros 21. E é a minha esperança que vos entusiasmem e inspirem a investir nos vossos maiores sonhos».

Nascido Franklin Carlton Feranna a 11 de Dezembro de 1958, o jovem Frankie foi abandonado pelo seu pai e parcialmente criado pela sua mãe, uma mulher que estava à frente do seu tempo e, em simultâneo, profundamente perturbada. De tal forma que Frankie acabou por viver com os seus avós, saltando de quinta em quinta e de estado em estado. Era um típico miúdo americano – adorava caça, pesca e futebol – mas no seu íntimo havia um desejo: a música.

Em Los Angeles, Frank viveu com a sua tia e o seu tio, que era o presidente da Capitol Records. Mas não havia um caminho curto para o topo. Em breve estaria por sua conta. Agarrou trabalhos sem saída, como lojas de bebidas e de discos, lojas e lojecas ou mesmo a prostituição, para sobreviver. Mas, à noite, Frank aperfeiçoava a sua arte, juntando-se aos Sister, uma banda formada pelo veterano Blackie Lawless. Depois, formou o seu próprio grupo: London, os primórdios dos Mötley Crüe. Ao recusar uma oferta para se juntar à banda de Randy Rhoads, Frank mudou o seu nome para Nikki London, Nikki Nine, e, finalmente, Nikki Sixx.

A infame biografia dos Mötley Crüe foi um enorme sucesso e chegou mesmo ao cinema. Nikki Sixx documentou anteriormente a sua batalha contra a toxicodependência no livro “The Heroin Diaries”. “The First 21: How I Became Nikki Sixx” estará disponível numa edição em capa dura, eBook e edições áudio, com pré-encomendas disponíveis aqui.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.
EGITANA