BREXIT: Músicos são obrigados a ter visto para dar concertos no Reino Unido em 2021

BREXIT: Músicos são obrigados a ter visto para dar concertos no Reino Unido em 2021

António Maurício

Com o Brexit, o Reino Unido vai apertar as leis para artistas e criativos que pretendem trabalhar no país. Também exige 1000£ em conta bancária.

Os músicos que não têm nacionalidade no Reino Unido vão encontrar novas dificuldades para trabalhar no país. De acordo com as novas regras, estabelecidas em conformidade com o Brexit, todos os músicos estrangeiros são obrigados a ter um visto (Tier 5) e a pagar o seu custo pré-determinado para actuarem no país a partir de 2021.

Além desta nova burocracia, todos os criativos estrangeiros ao país também têm de provar que têm, no mínimo, 1000£ em conta bancária. A verificação tem que ser efectuada 90 dias antes da aplicação para o visto. O governo afirma que esta “confirmação de posses” tem como objectivo provar que o/a artista consegue sustentar-se pessoalmente.

Qualquer tipo de artista que esteja inserido em performances, audições, workshops, participações em festivais, conferências ou eventos, está inserido nestas novas condições. O visto tem um custo previsto de 244£ e entrará oficialmente em vigor em Janeiro de 2021.

Deborah Annetts, chefe executiva da Sociedade Incorporada de Músicos (associação de educação musical e organização independente sem fins lucrativos no Reino Unido), expressou o seu descontentamento em relação à medida no Theneweuropean: «Estamos profundamente desapontados que o movimento livre de músicos e outros artistas da União Europeia tenha sido cancelado, e queremos pedir ao Governo do Reino Unido para reconsiderar a nossa proposta para um visto de dois anos, com múltiplas entradas».

Mais informação, aqui.

EGITANA