DigiTech Vanishing Point Modulated Delay, Tone Boost Dual-Boost e Magic Fingers Vibrato

Timóteo Azevedo

Desde o início do mês de Outubro que a DigiTech lançou mais três e-pedals para o iStomp, o pedal da marca que permite carregar diferentes efeitos. Os novos efeitos incluem um pedal de delay digital, o Vanishing Point Modulated Delay, um efeito de boost dois-em-um, o Tone Boost Dual-Boost, e um efeito de vibrato, o Magic Fingers Vibrato. Até ao final do mês, os pedais terão um preço especial de $0,99.

DigiTech Vanishing Point Modulated Delay

Este e-pedal procura proporcionar o timbre das unidades de delay para racks que modulam ligeiramente o som das repetições à medida que vão desaparecendo. O pedal tem um som parecido com que é alcançado colocando um efeito de chorus após o delay, mas com a diferença de que apenas as repetições são modeladas. O sinal que entra no pedal é deixado inalterado.

O Vanishing Point apresenta quatro controlos sobre o timbre – DELAY, REPEATS, MOD e LEVEL. O controlo DELAY define o tempo de delay entre 20 milissegundos e 2 segundos, com o sinal de delay a poder sair em estéreo. O controlo REPEATS ajusta a quantidade de repetições. O controlo de MOD é onde encontramos a verdadeira alma do pedal, sendo o controlo que ajusta a quantidade de modulação aplicada sobre o sinal de entrada. A DigiTech recomenda rodar o potenciómetro para lá do ponto médio em acordes de tons limpos, e apenas um pequeno toque para dar outra cor aos solos com tons saturados. O controlo de LEVEL regula o volume do sinal de saída.

O e-pedal também está equipado com a tradicional função de Tap Tempo, para sincronizar o tempo de delay com o tempo da música.

“Muitos guitarristas têm um pedal de chorus depois do delay para adicionarem ao seu som aquele ‘turbilhão’ rico e texturado”, declarou Rob Urry, vice-presidente, membro da HARMAN Professional Division e gestor geral do departamento de processamento de sinal e de unidades de amplificação. “Contudo, o Vanishing Point é muito mais controlável porque apenas as repetições do delay são moduladas enquanto o sinal original é deixado inalterado. Esta característica aparentemente subtil faz uma grande diferença na capacidade de controlar a expressividade dos sons limpos e saturados quando são tocadas notas singulares ou acordes.”

DigiTech Tone Boost Dual-Boost

Na realidade são dois pedais de boost num só e-pedal. O DigiTech Tone Boost Dual-Boost oferece um efeito de boost simples, até um máximo de 20 dB adicionais, e um boost com equalização específica, que oferece outros 20 dB de volume adicional. No boost com equalização específica, podemos escolher uma frequência entre os 500 Hz e os 3kHz, assim como a largura de banda que o boost vai afectar (mais estreita ou mais larga).

O primeiro potenciómetro de BOOST controla a quantidade de reforço de sinal sem qualquer tipo de coloração. No outro extremo do pedal, o potenciómetro de EQ BOOST controla a quantidade de boost feita sobre determinada frequência, com o controlo FREQ a definir a frequência sobre a qual se vai centrar o reforço de volume e o controlo WIDTH a ajustar a largura de banda afectada. Ambos os boost podem ser utilizados em simultâneo, proporcionando a oportunidade de construir timbres feito à medida. O Tone Boost tem um funcionamento em estéreo, permitindo encadeamentos em estéreo nas pedaleiras e o envio de sinal para dois amplificadores.

“O nosso Tone Boost é uma ferramenta extremamente útil para a performance ao vivo e no estúdio”, declarou Scott Klimt, gestor de marketing da DigiTech. “Por vezes os guitarristas apenas querem um simples reforço de volume. Mas se quiserem acentuar uma frequência específica, por exemplo, como o Eric Clapton e o seu boost favorito de frequências médias nos 500 Hz ou o Brian May que utiliza o seu reforço de agudos nos 3 kHz, o Tone Boost permite que o utilizador defina a equalização específica para atingir o tom exacto que querem.”

DigiTech Magic Fingers Vibrato

Ao efeito de vibrato, este e-pedal junta capacidades de panorâmicas em estéreo e algumas possibilidades de efeitos de chorus. O Magic Fingers Vibrato pega no sinal original e modula ligeiramente o timbre ao mesmo tempo que aplica o efeito de gorjeio.

O controlo SPEED define a velocidade do efeito, permitindo timbres que vão de uma ligeira vibração ou uma panorâmica lenta para um trinado ou panorâmica frenéticos. Com DEPTH ajusta-se a quantidade de modulação feita sobre o sinal. O controlo de MIX permite adicional sinal sem efeito ao sinal afectado pelo pedal, permitindo várias hipóteses de efeitos de chorus. O controlo de SPREAD altera a modulação em ambas as saídas do e-pedal, de um estado em que estão sincronizadas até à divisão estéreo completa.

O e-pedal também está equipado com uma função de Tap Tempo que permite sincronizar a velocidade do vibrato ou da panorâmica com o ritmo da música. Para aceder à função, pressiona-se o botão até que o indicador LED comece a piscar. Com o Tap Tempo activado, o guitarrista pode usar o potenciómetro de SPEED para ajustar o rácio do intervalo da marcação, e assim criar velocidades mais rápidas.

“O nosso Magic Finger Vibrato dá aos guitarristas uma ampla gama de sons estéreo tradicionais e nunca-ouvidos-antes de vibrato e chorus“, adiantou Scott Klimt, gestor de marketing para a DigiTech. “O Magic Fingers dá uma qualidade pulsante, móvel e espacial ao vibrato e chorus que pode literalmente adicionar outra dimensão às performances ao vivo e às faixas de estúdio.”

EGITANA

fender