9

The Time

Ice Cream Castle

Warner Music, 1984-07-02

Nero

Quando assinou contrato com a Warner, Prince estabeleceu uma cláusula que lhe garantia o direito a recrutar e produzir outros artistas. Em 1981, Prince criou um novo projecto: assumiu o papel na guitarra eléctrica e recrutou Jellybean Johnson para a bateria, Terry Lewis para o baixo e Jimmy Jam e Monte Noir, ambos para as teclas. Para completar a formação, foram ainda escolhidos o guitarrista Jesse Johnson e o vocalista Morris Day.

Os The Time começaram por lançar um álbum homónimo na sua estreia, logo nesse ano de 1981. Seis temas que alternavam entre o pop funkrock e soul. Uma sonoridade muito digitalizada, devido à forte sintetização e ao uso de baterias e baixos electrónicos. A fórmula foi mantida no segundo álbum, “What Time Is It?”, em 1982. Os mesmos traços sonoros e também seis temas apenas. Sempre Prince a escrever as canções.

Curto, incisivo e divertido. É como um Lado B ao álbum “Purple Rain”, de Prince.

Então os The Time demoraram-se mais a preparar aquele que seria o último álbum da formação original e aquele com o qual conseguiriam maior sucesso. Em 1984, através do embalo da presença na banda sonora do filme “Purple Rain”, o álbum “Ice Cream Castle” colocou a banda nas bocas do mundo. Dos paradigmáticos seis temas, três tornaram-se singles. A faixa título, “The Bird” e “Jungle Love” deixaram abertas as portas do mainstream à banda.

Contudo, a fama trazida pelo filme provocou divisão no line-up, com Terry Lewis e Jimmy Jam a serem substituídos por “mau comportamento”. Assim a oportunidade esfumou-se, ainda que a expectativa pelo regresso com o álbum “Pandemonium”, em 1990, tenha permitido aos The Time o seu melhor resultado de vendas.

Há quem diga que foi Prince a gravar todos os instrumentos do álbum, com excepção às guitarras de Jesse Johnson e à voz de Morris Day.

“Ice Cream Castle” foi o canto do cisne para a formação clássica e, musicalmente, mais sólida. Com os seus pressupostos muito bem definidos desde a sua formação, no terceiro álbum a capacidade de composição estava no máximo e a sonoridade ainda não havia esgotado a sua actualidade. Muito disto é devido à produção do próprio Prince, sob o pseudónimo Jamie Starr, de resto, há mesmo quem diga que foi o músico a gravar todos os instrumentos do álbum, com excepção às guitarras de Jesse Johnson e à voz de Morris Day.

Seja isto verdade ou não, “Ice Cream Castle” é um disco que vale a pena descobrir. Curto, incisivo e divertido. É como um Lado B ao álbum “Purple Rain”, de Prince. De facto, ambos foram gravados quase em simultâneo, aproveitando a rivalidade fictícia entre Morris Day e Prince, que ilustra o argumento desse clássico filme dos anos 80.