Brian Johnson, O Comunicado Oficial

Brian Johnson, O Comunicado Oficial

Nero

O vocalista de AC/DC deixou um longo comunicado aos fãs, explicando a sua actual situação.

Certamente atento à enorme controvérsia despoletada pelo anúncio, em Março passado, de que a sua saúde o impedia de acompanhar os AC/DC, sendo a banda obrigada a adiar datas na sua digressão americana, Brian Johnson deixou um longo comunicado relativamente à sua condição actual. O vocalista dos AC/DC agradece o apoio que lhe tem sido prestado e compreensão. Sem referir Axl Rose, Johnson pede o mesmo apoio e compreensão dos fãs de AC/DC para o momento delicado da banda. Brian Johnson chegou a dizer que estaria capaz de assegurar as datas da digressão, mas agora – pressionado pelos interesses superiores da banda ou resignado com a gravidade da sua condição de saúde – assume que prosseguir em digressão poderia provocar-lhe surdez total. Numa nota positiva, garante que não se está a retirar e, pelo menos, está perfeitamente capaz de poder gravar em estúdio.

Eis o comunicado:

Como é do conhecimento de tantos fãs de AC/DC, os restantes concertos da AC/DC Rock Bust World Tour, de 2016, incluindo os 10 concertos adiados nos Estados unidos, estão a ser remarcados com um vocalista convidado. Desejo explicar pessoalmente a situação, pois não me parece que os anteriores comunicados de imprensa ilustrem o que queria dizer aos nossos fãs ou a forma como eu penso que deviam ter sido feitos.

No dia 7 de Março, após uma série de exames, feitos pelos maiores especialistas em otorrinolaringologia, foi-me dito que se continuasse a actuar em grandes palcos arriscaria a perda total de audição. Ainda que tenha fica chocado com a realidade dessas notícias, há algum tempo que estava consciente de que a minha perda de audição parcial estava a começar a interferir com a minha prestação em palco. Tinha dificuldade em ouvir as guitarras em palco e, uma vez que não conseguia ouvir distintamente os outros músicos, receava que a qualidade da minha prestação pudesse ser comprometida. Com toda a honestidade, isto era algo que eu não podia permitir conscientemente. Os nossos fãs merecem o mais alto nível da minha performance e se, por qualquer razão, não consigo atingir esse nível, não vou desapontar os nossos fãs ou envergonhar os outros músicos dos AC/DC. Não sou alguém de desistir e gosto de terminar o que começo, não obstante, os médicos deixaram claro, a mim e aos meus colegas de banda, que não tinha outra escolha a não ser parar de subir a palco nos restantes concertos e, possivelmente, em datas futuras. Foi o dia mais negro da minha vida profissional.

Desde esse dia, tenho sido seguido pelos meus médicos em consultas regulares e parece que, num futuro mais próximo, não poderei actuar em palco em estádios ou grandes espaços, onde o volume sonoro está acima da minha tolerância actual, sem arriscar uma perda substancial de audição e, possivelmente, surdez total. Até essas notícias dei o meu melhor por continuar, apesar da dor e perda de audição, mas o fardo tornou-se muito pesado e o risco muito grande.

Estou intimamente devastado, mais que alguém possa imaginar, com tudo isto. Aquilo porque estou a passar agora é pior que qualquer outra coisa que tenha sentido, até aqui, em toda a minha vida. Ser parte dos AC/DC, fazer discos e actuar para milhões de fãs devotos, ao longo desde últimos 36 anos, foi o trabalho da minha vida. Não consigo imaginar, seguir em frente sem fazer parte disso, mas não tenho outra escolha neste momento. A única certeza é a de que estarei com os AC/DC em cada concerto, ou pessoalmente ou em espírito.

Mais importante ainda, sinto-me horrível por ter que desapontar os fãs que compraram bilhetes para os concertos cancelados e que prontamente me apoiaram e aos AC/DC todos estes anos. As palavras são insuficientes para expressar a minha profunda gratidão e deixar um sentido obrigado pela recente torrente de palavras de apoio e desejos pelo melhor, além dos anos de apoio fiel aos AC/DC. O meu agradecimento extende-se também ao Angus e ao Cliff, pelo seu apoio.

Por último, desejo assegurar os nossos fãs que não me vou retirar. Os meus médicos dizem-me que posso continuar a gravar em estúdios e tenciono fazê-lo. Para já, todo o meu foco está em prosseguir os cuidados médicos para melhorar a minha audição. Espero que a minha audição melhore com o tempo e me permita regressar aos concertos. Ainda que o resultado seja incerto, mantenho uma atitude optimista. Apenas o tempo trará respostas.

Uma vez mais, os meus sinceros e melhores votos e agradecimentos a todos pelo apoio e compreensão.