Problema Informático Impede Obtenção de Resultados dos Eventos-Piloto Em Portugal

Problema Informático Impede Obtenção de Resultados dos Eventos-Piloto Em Portugal

Redacção
Teresa Mesquita

Mais de um mês depois, ainda não foram divulgadas as conclusões dos eventos-piloto realizados em Abril e Maio em Braga, Coimbra e Lisboa.

Desde o início deste ano que as associações do sector dos espetáculos têm mantido reuniões regulares com a Direcção-Geral de Saúde e com o Governo, que resultaram, durante os meses de Abril e Maio, em vários eventos-piloto, realizados em Braga, Coimbra e Lisboa, com plateia em pé e sentada.

Esses espectáculos, levados a cabo em articulação com a Cruz Vermelha Portuguesa e a DGS, tinham como objectivo, segundo o Governo, definir «novas orientações técnicas e a realização de testes de diagnóstico de SARS-CoV-2 para a realização de espectáculos e festivais». O problema é que, mais de um mês depois, ainda não foram divulgadas as conclusões desses eventos-piloto.

Segundo declarações de Álvaro Covões, da direcção da Associação de Promotores de Espectáculos, Festivais e Eventos (APEFE), ao Público, a DGS informou as associações na última sexta-feira, 11 de Junho, de que terá havido «um problema informático» com os dados dos espectadores. «Quem tinha os dados era a Cruz Vermelha», refere Álvaro Covões, explicando que «não estavam a conseguir tratá-los informaticamente». Para tentar contornar este problema, as associações organizadoras terão de enviar «o número de utente de cada espectador para tentar complementar as informações».

A APEFE pretende agora mais esclarecimentos da Direcção-Geral da Saúde sobre a obrigatoriedade de realização de testes à Covid-19 em eventos culturais, e lamenta a ausência de informações. Recorde-se que, no passado dia 9 de Junho, a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, informou que o acesso a eventos culturais vai estar dependente da realização de um teste à Covid-19, sempre que o evento tenha um número mínimo de pessoas, a determinar pela Direcção-Geral da Saúde (DGS).

O Governo anunciava assim a «necessidade de realização de testes como forma de acesso a um conjunto de eventos, sejam eles desportivos, culturais, familiares, incluindo casamentos e baptizados, a partir de um número de convidados que será determinado pela DGS», disse a ministra em conferência de imprensa.

EGITANA