Produtor Bob Rock explica (polémico) som da tarola de St. Anger

Produtor Bob Rock explica (polémico) som da tarola de St. Anger

Redacção

O produtor por detrás do álbum dos Metallica “St. Anger” desmistificou o som de tarola que tanto deu que falar ao longo dos últimos 17 anos. Numa entrevista ao Tone-Talk, Bob Rock explicou como tudo aconteceu e disse: «É só um som de tarola, dêem a m**da de um desconto».

“St. Anger”, álbum de 2003, sempre foi um disco intimamente ligado a um som específico… o da tarola de Lars Ulrich. Adorado por uns, odiado por muitos, o som da tarola deste disco tem sido, ao longo dos anos, largamente ridicularizado.

Recentemente, durante uma recente entrevista ao canal Tone-Talk, com Dave Friedman e Mark Huzansky, o produtor Bob Rock aproveitou a oportunidade para explicar como surgiu esse som e porque é que não vê razão para tanto alarido em torno desse pormenor.

«Isto é interessante, há uma história. Enquanto estávamos a fazer [St. Anger], fomos à casa de Lars [Ulrich] em Oakland. Divertimo-nos imenso, o Lars falou-me das suas baterias e de como foram montadas num determinado lugar. Estávamos à procura de inspiração, digamos assim, porque James não estava lá, por isso eu disse, ‘Puxa pela bateria, usa o pedal duplo’. Então ele montou a bateria na sala de ensaios. Finalmente, ele sentou-se e disse: ‘Dá-me só uma tarola’. Eu tinha comprado uma Plexi Ludwig [Vistalite] porque queria experimentá-la, e ele colocou-a no kit de bateria, e disse: ‘Este é o som’».

O produtor explicou também o simples processo de micagem da bateria desse disco e a razão por ter tomado essa opção: «Então, basicamente, fizemos uma demo, e eu usei dois [SM] 58s, um no bombo e um par de microfones simples, e fizemos uma demo, e esse era o som. Não o estou a culpar, se conseguirmos envolver um conceito, este era o som da bateria quando estavam a ensaiar o álbum, é basicamente o mais próximo de estarem naquela sala, e não importa o que todos dizem, manteve a banda unida, e isso inspirou-os a continuar. Por isso, estou bem com todas as críticas que ouvi. É a merda de um som de tarola, dêem-lhe um desconto”!»

Podes assistir à conversa no player abaixo:

Ao longo dos anos, vários foram os vídeos de paródia replicados por essa internet fora, a gozarem com o som da tarola de “St. Anger”. Até o próprio Lars Ulrich fez uma tentativa, no vídeo que podes assistir abaixo, referindo-se ao som gravado e simplificando o assunto.