O Filme “Bohemian Rhapsody” Terá Sequela?

O Filme “Bohemian Rhapsody” Terá Sequela?

Nero

Há rumores sobre uma sequela para “Bohemian Rhapsody”. Brian May e Roger Taylor, guitarrista e baterista dos Queen, afastam essa possibilidade… Mais ou menos.

O filme sobre a vida de Freddie Mercury e sobre os Queen, que conta com Rami Malek no papel de Freddie, estreou no dia 02 de Novembro de 2018, através da 20th Century Fox. Rami Malek, protagonista da série “Mr Robot”, assumiu o papel após os problemas com Sacha Baron Cohen, o primeiro eleito para interpretar Freddie Mercury no grande ecrã. Também o realizador original, Bryan Singer, acabou despedido em Dezembro de 2017.

Mesmo com esta turbulência na sua produção e tendo sido arrasado pela crítica, “Bohemian Rhapsody” tornou um estrondoso sucesso cinematográfico, suplantando várias vezes o seu orçamento. E se alguns fãs lhe apontam bastantes incorreções, muitos outros apreciaram a forma descontraída e positiva como é contada a ascensão dos Queen. O momento mais aclamado é a reprodução da triunfal performance da banda no Live Aid, em 1985.

Devido a esse sucesso, surgiram rumores sobre uma sequela, afinal o filme deixa a banda em ’85 e Freddie e os Queen deram concertos e editaram álbuns fenomenais depois disso. Primeiro foi Brian May a falar nessa possibilidade, negando-a à Rolling Stone, mas deixando alguma esperança numa mudança de cenário: «Não pensem que não pensámos nisso. falámos nisso. Mas neste momento não. As coisas podem mudar, mas será muito difícil».

Mais recentemente e também à Rolling Stone, Roger Taylor alinhou pelo mesmo diapasão: «Terei que dizer não. Penso que precisamos de deixar as coisas como estão durante um ou dois anos e depois perceber se isso seria credível de fazer. O filme foi um enorme sucesso. Estamos muito satisfeitos, obviamente. Mas não queria que se olhasse para isso [sequela] como estarmos a forçar o lucro. Teria que ser uma situação que reunisse um excelente guião e as condições perfeitas para funcionar. Neste momento, não consigo pensar numa forma de fazer uma sequela».

No fundo, nenhum dos músicos que continuam em actividade nos Queen querem assumir um compromisso, nem descartá-lo. Taylor continua: «Se alguém surgir com um plano de génio, talvez o consideremos [risos]. Neste momento estamos apenas felizes com o que o filme conseguiu. Há demasiadas sequelas que não estão à altura do original. Algumas tiveram sucesso mas, no geral, é um território bastante perigoso».

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.