Nick Mason Traz Saucerful of Secrets a Portugal em 2022

Nick Mason Traz Saucerful of Secrets a Portugal em 2022

Redacção

Nick Mason’s Saucerful of Secrets, a banda do baterista dos Pink Floyd e zeladora do espírito original dos colossos britânicos, tem dois concertos em Portugal em Julho de 2022.

Nick Mason é o único membro vivo dos Pink Floyd a ter tocado em todos os álbuns de estúdio da banda e juntos dos Saucerful of Secrets revisita os primeiros registos do grupo. Aliás, a banda pede o nome emprestado ao segundo álbum das lendas britânicas.

O projecto “Saucerful of Secrets”, de Nick Mason, surgiu depois deste ter esperado quase um quarto de século para que os Pink Floyd se reunissem. O grupo conta o guitarrista dos Spandau Ballet, Gary Kemp; o baixista de longa data dos Pink Floyd, Guy Pratt; o guitarrista Lee Harris e o teclista Dom Beken. Desde o inicio, Nick Mason sabia que a banda precisava de se diferenciar das digressões aparatosas dos Floyd e mesmo dos espectáculos a solo que Roger Waters e David Gilmour realizaram nos últimos anos.

Mason reforça que o grupo não é uma banda de tributo, mas queria “capturar o espírito” da época; enfatizando que Kemp não é um substituto para o vocalista original dos Pink Floyd, Syd Barrett, que deixou a banda em 1968. A banda fez sua estreia ao vivo em Maio de 2018, diante de uma plateia convidada no Dingwalls em Londres, tocando uma selecção de material dos Pink Floyd lançado antes de seu álbum de 1973, “The Dark Side of the Moon”. Isso foi seguido por três pequenos espectáculos no Half Moon, Putney e uma digressão europeia.

Nick Mason’s Saucerful of Secrets actuam na Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota, no Porto, a 12 de Julho de 2022 e no Campo Pequeno, em Lisboa, a 13 de Julho de 2022. Os bilhetes anteriormente adquiridos são válidos para as novas datas (não é necessário proceder à troca para as novas datas). Para mais informações, contactar através do e-mail info@peventertainment.pt.

Para quem deseja adquirir custam entre os 30€ e os 50€ já estão à venda nos locais habituais.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.
EGITANA