Sleaford Mods Em Missão De Protesto Com Novo Álbum “Spare Ribs”

Sleaford Mods Em Missão De Protesto Com Novo Álbum “Spare Ribs”

Redacção

Toda a revolta dos Sleaford Mods plasmada no novo álbum “Spare Ribs”, disponível dia 15 de Janeiro. “Nudge It” é o novo single.

“Spare Ribs”, sexto álbum de estúdio dos Sleaford Mods, é um disco de 13 faixas sob a forma de crítica social, que forma o próprio ethos da banda. Fartos do domínio dos Tory, da política monetária, da liderança inepta, do capitalismo e de se sentirem dispensáveis, Jason Williamson e Andrew Fearn decidiram passar todas as suas convicções, lutas e ideais para um disco cru e directo.

Os Sleaford Mods gravaram o novo álbum em meados do ano passado, ao longo de três semanas, num antigo armazém de fruta e vegetais transformado em espaço de música e artes DIY perto do mercado de Sneinton, em Nottingham. Desta vez, a dupla de East Midlands contou com os talentos de Billy Nomates no single principal “Mork n’ Mindy”, bem como Amy Taylor, vocalista dos punks Amyl and the Sniffers, em “Nudge It”.

O novo single, “Nudge It”, chega com um vídeo dirigido por Eddie the Wheel, no qual os Sleaford Mods entregam a faixa enquanto percorrem ruas vazias, com alguns efeitos de câmara a dar uma sensação de herky-jerky aos procedimentos. A meio do percurso, Taylor telefona para entregar a sua parte da canção.

Numa declaração, o vocalista Jason Williamson afirmou sobre o single: «Imagina que tens opções limitadas, sem teres a certeza de como vais passar essa semana, olhando pela janela do apartamento húmido em que não queres viver, e vendo um monte de postes a terem uma sessão fotográfica. A circunstância reduzida não é uma pantomima. Se não tiveres vivido dentro dos seus limites, não a uses para enaltecer as tuas ideias. Confunde a plataforma para aqueles que a vivem verdadeiramente e, na maioria das vezes, enterra descobertas criativas porque a arena está poluída pela visão do mundo através da lente privilegiada de outra pessoa. Por isso, tem cuidado com os ansiosos criadores de rede, não te contentes com pouco. E também não peças desculpa».