Steven Wilson, “The Future Bites” [Streaming]

Steven Wilson, “The Future Bites” [Streaming]

Redacção

Steven Wilson editou o seu novo álbum de estúdio no dia 29 de Janeiro de 2021. “The Future Bites” foi editado através da Caroline International.

Estava previsto para Junho de 2020, mas pelos motivos facilmente deduzíveis só foi lançado agora. O sucessor de “To The Bone”, aclamado álbum de 2017, explora a ideia de como o cérebro humano se tem desenvolvido na era da Internet. “The Future Bites” é o sexto álbum a solo do mentor dos Porcupine Tree e funciona como «um portal online para um mundo de elevado conceito de design construído especificamente para consumidores ultra-modernos».

Se “To The Bone” nos confrontava com a emergência de assuntos globais e o fenómeno das fake news, “The Future Bites” coloca-nos no mundo dos vícios do século XXI. «Um lugar onde  experiências públicas recorrentes e extremamente públicas experiências têm lugar constantemente afectando a tecnologia que vai surgindo nas nossas vidas. Desde terapia retalhista fora de controlo, redes sociais manipulativas e perda de individualidade, “The Future Bites” é não tanto uma visão desoladora de uma distopia próxima e mais uma curiosa leitura do aqui e agora».

Musicalmente, “The Future Bites” promete imenso. Carregado com deslumbrantes sons electrónicos, moldados por mãos humanas como em “King Ghost”; acústica ressonante e altiva em “12 Things I Forgot”; grooves Motorik (aqueles 4/4 Krautrock) preenchidos por baixo num tema como “Follower” ou o funk pantanoso de “Eminent Sleaze”. Steven Wilson acredita ser o seu trabalho mais consistente até à data.

O álbum foi gravado em Londres e resulta de uma co-produção entre Wilson e David Kosten. Pode ser disparado no player em baixo.

“To The Bone” motivou duas visitas a Portugal. Infelizmente, não se espera o mesmo desta vez… Esse álbum foi ainda assunto para duas conversas entre a AS e Steven Wilson. Na primeira ocasião, o músico falou-nos de versatilidade e evolução. Um ano mais tarde, fez-nos uma retrospectiva ao sucesso alcançado por “To The Bone” e deixou algumas confissões sobre a sua pedalboard.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.

EGITANA