Verão Quente e Preenchido no Gnration Com Jaimie Branch, Rui Reininho, Gala Drop, Entre Outros

Verão Quente e Preenchido no Gnration Com Jaimie Branch, Rui Reininho, Gala Drop, Entre Outros

Redacção

Verão no Gnration com Jaimie Branch, Mary Halvorson, Sara Serpa, Rui Reininho, Mark Fell com Rian Treanor, Gala Drop, Ricardo Toscano e Luís Vicente. E, em Novembro, há KeiyaA.

Sétima edição do ciclo Julho é de Jazz, uma nova exposição de Mark Fell e Rian Treanor e apresentações de novos discos de Rui Reininho e Gala Drop. Estas são algumas das propostas para o trimestre de Julho a Setembro no espaço bracarense gnration. Já no último trimestre, receberá a estreia de keiyaA em Portugal.

Verão no Gnration é sinónimo de jazz com o já habitual Julho é de Jazz. A sétima edição do ciclo que apresenta alguns dos nomes mais referentes do jazz moderno divide-se este ano em duas vésperas de fim-de-semana. A 8 e 9 de Julho, o arranque do ciclo acontece com duas das mais relevantes artistas do jazz de vanguarda norte-americano. A trompetista Jaimie Branch, que se apresenta no primeiro dia, é um dos nomes da actualidade do jazz que mais atenção tem gerado à sua volta, muito por culpa dos dois tomos discográficos “Fly Or Die”.

Na sua estreia em Portugal, Branch estará acompanhada por Lester St. Louis, no violoncelo, Jason Ajemian, no contrabaixo, e ainda pelo enigmático baterista Chad Taylor. Já a guitarrista Mary Halvorson, que actuará no segundo dia, dará a conhecer o trio Thumbscrew, com Tomas Fujiwara, na bateria, e Michael Formanek, no contrabaixo. O talento singular da compositora será um regresso a Braga, depois de se ter apresentado em 2019 com o projecto Code Girl.

Já a véspera do fim-de-semana seguinte será totalmente dedicada ao jazz nacional e levará a palco dois quartetos de luxo. A 15 de Julho, o saxofonista Ricardo Toscano mostrará a sua paixão por John Coltrane com “A Love Supreme”; no dia seguinte, o trompetista Luís Vicente convida o contrabaixista britânico John Edwards, figura incontornável na história do jazz, a quem ainda juntará nesta estreia de formação o saxofonista norte-americano John Dikeman e o baterista holandês Onno Goevart. Os bilhetes custam 7 euros para cada espectáculo, com um passe-geral também disponível por 20 euros.

Mas o jazz não se retém ao Julho é de Jazz no programa para o verão no centro cultural bracarense, que receberá a artista portuguesa Sara Serpa nos primeiros dias de Julho. A sétima edição de “De que falamos quando falamos de racismo”, ciclo de conversas e cinema que coloca em debate o racismo e a discriminação racial, contará com a cantora e compositora, aclamada internacionalmente pela sua abordagem única ao canto, para dar a conhecer o seu filme-concerto “Recognition: Music For a Silent Film”, documentário experimental que parte dos arquivos da sua família e procura traçar o legado histórico do colonialismo português em África. O filme-concerto é apresentado a 3 de Julho, com bilhetes a custarem 5 euros, sendo antecedido a 1 de Julho por uma conversa com a artista que decorrerá em formato online e terá acesso gratuito.

No programa expositivo, a convite do Gnration e do Circuito, o projecto de serviço educativo da Braga Media Arts, o artista multidisciplinar britânico Mark Fell, nome histórico da música electrónica, e o produtor e artista Rian Treanor, seu filho e nome já de culto na club culture, apresentam “Inter-Symmetry” na galeria Gnration do Gnration. A exposição dará a conhecer o resultado final do projecto que os dois artistas têm levado a cabo com utentes da CERCI Braga e um grupo de estudantes de artes visuais da Universidade do Minho. O trabalho foi desenvolvido à distância durante a pandemia, através de sessões online, e apresenta abordagens inovadoras nos domínios da música e da criação de som em contexto de afastamento social. A exposição poderá ser visitada, gratuitamente, de 15 de Julho a 25 de Setembro.

Em Agosto, o cinema volta a ocupar o pátio exterior do Gnration nas noites de quinta-feira, com sessões ao ar livre e de entrada gratuita. A 5, 12, 19 e 26, o Cinema no Pátio apresenta, respetivamente, “A Máquina de Matar Pessoas Más”, de Roberto Rossellini, “Até Nunca”, de Benoit Jacquot, “Esplendor”, de Naomi Kawase e “Querido Diário”, de Nanni Moretti.

Também durante o mês de Agosto, o Gnration acolherá dentro de portas um conjunto de residências artísticas dos projectos vencedores da edição deste ano dos Laboratórios de Verão, um dos programas de apoio à criação artística do Gnration, destinado a artistas ou colectividades do distrito de Braga. As residências artísticas culminam com uma apresentação pública, no Pós-Laboratórios de Verão, a decorrer em diferentes espaços interiores do Gnration durante o dia de 4 de Setembro.

Em Setembro, a música volta em força ao palco do Gnration com a apresentação do novo trabalho em nome próprio de Rui Reininho, icónico vocalista dos GNR. “20.000 Éguas Submarinas” é editado este mês de Junho e sucede a “Companhia das Índias”, lançado em 2008. Para além de Rui Reininho (vozes, gongos, taças e percussões) e Paulo Borges (piano, sintetizadores, programações e guitarras), o disco conta com a luxuosa participação de Alexandre Soares (Três Tristes Tigres, Osso Vaidoso), Pedro Jóia, Tiago Maia, Eduardo Lála, Ruca Rebordão, Moisés Fernandes, Daniel Salomé e Jacomina Kistemaker. O disco é apresentado em Braga a 11 de Setembro e os bilhetes custam 9 euros.

A 18 de Setembro, o Gnration estreará um novo ciclo de programação pensado para o formato online. Órbita inaugura com a colaboração artística entre o músico Sarnadas e a artista multidisciplinar Inês Castanheira. Sarnadas é o projecto dedicado à música electrónica de João Sarnadas, músico do Porto que também se dá a conhecer como cantautor em Coelho Radioactivo. A visualização é gratuita.

A encerrar o programa do trimestre, a 25 de Setembro, os lisboetas Gala Drop regressam ao Gnration depois de terem estado em residência artística para a concepção de um novo trabalho. A banda, agora formada por Afonso Simões (bateria), Nelson Gomes (sintetizadores) e Rui Dâmaso (baixo) antecipa em palco um novo disco que porá fim a um interregno discográfico de vários anos e que sucederá a “II”, editado em 2014. Os bilhetes custam 7 euros.

Após o verão, e para o último trimestre do ano, o Gnration avança já a confirmação de keiyaA, nova coqueluche da Soul e R&B norte-americano. A cantora e produtora oriunda de Chicago estreia-se em Portugal para apresentar o seu aclamado disco de estreia, “Forever, Ya Girl”, editado em 2020. Actua em Braga na tarde de 28 de Novembro, com os bilhetes a custarem 7 euros.

Os bilhetes podem já ser adquiridos aqui, balcão gnration e locais habituais. Mais informações sobre a programação aqui.

EGITANA