Gretsch Revela Falcon de Assinatura de Michael Guy Chislett

Gretsch Revela Falcon de Assinatura de Michael Guy Chislett

Redacção

A Gretsch revelou oficialmente o modelo de assinatura de Michael Guy Chislett para a sempre elegante White Falcon. Um canhão totalmente oco que oferece pickups TV Jones, Bigsby e acabamento Vintage White com ferragens douradas.

A Gretsch já havia anunciado a sua luxuosa guitarra eléctrica Michael Guy Chislett Signature Falcon no Verão passado, mas eis que chegou a hora de revelar oficialmente o elegante modelo com nome de código G6136T-MGC.

Com um preço de €4,019, esta Falcon de assinatura é um hollow body com tampo sólido e ressonante em Sitka Spruce, bracing vintage (estilo 1959) e corpo em maple laminado. Uma clássica construção para obter, de acordo com a marca, «aquele tradicional volume enorme com incrível projecção e um som rico e equilibrado». A ajudar nesses planos do som está um par de TV Jones TV Classic Filter’Trons, com acabamentos dourados, tal como o restante hardware da guitarra.

A nova colaboração com o músico australiano, membro fundador dos Hillsong United e que também tocou com Butch Walker, The Academy Is…, Pete Yorn, Pistol Youth e Good Charlotte, ostenta um sólido tampo em abeto Sitka com furos em F, armação em estilo vintage de 1959 e costas e lados em maple laminado.

Há também um pescoço de bordo em forma de U semi-brilhante e uma prancha de 12″-radius ebony com incrustações de pérolas Big Block e 22 trastes jumbo médios.

Os pickups, entretanto, são um par de TV Jones TV Classics, controlados através de um interruptor de três vias, botões individuais de volume de pickup e tone master e volume master com circuito triplo com condensadores de papel em óleo “Squeezebox”. Outras características incluem o Bigsby B6GP com base de ébano com pinos e knobs Grover Imperial.

«Senti que não havia uma White Falcon que se assemelhasse ao que eu tocava. Tê-los a oferecerem-se para me fazerem uma nova foi por si só bastante excitante. Cresci a idolatrar Brian Setzer – até tenho uma tatuagem dele – e tipos como George Harrison. Nunca teria sequer sonhado em ter um modelo de assinatura. Para mim ainda é bastante louco, e sinto-me incrivelmente honrado», afirmou o guitarrista Michael Guy Chislett.

Já Jason Barnes, vice-presidente da Gretsch, revelou que «Michael procurava um som grande e vibrante que lhe desse aquele famoso som limpo da Gretsch, ao mesmo tempo que lhe dava a capacidade de conduzir o seu timbre com bastante força e sem muito feedback».

Mais informações aqui.

EGITANA