“The Dirty Deed” da Seymour Duncan

“The Dirty Deed” da Seymour Duncan

Timóteo Azevedo

O Dirty Deed da Seymour Duncan foi criado para oferecer uma versatilidade completa com o seu overdrive pujante e distorção gritante.

O tom é muito orgânico e natural, sendo desenhado de forma a obter o carácter e a resposta do overdrive clássico de válvulas com elementos de distorção, fuzz e overdrve combinados num só pedal de grande variedade.

A distorção é espessa e encorpada, com um relevo de EQ nos médios e uma boa resposta de graves, enquanto que os controlos de Treble, Bass, Gain e Level permitem desenhar e modelar o som com versatilidade.

É um pedal com true-bypass, que incorpora transistors MOSFET, que conseguem evocar os harmónicos e sustain só conseguidos muitas vezes com amplificadores de topo.

EGITANA