Wampler Brent Mason Hot Wired

Wampler Brent Mason Hot Wired

Paulo Basilio

Um pedal de Overdrive/Distortion, 100% True Bypass, construído com componentes de 1ª classe, constituído por dois canais independentes, um de estágio de ganho de Overdrive e outro de ganho de Distorção. Hot, hot, hot!

Assim que manuseamos os controlos do pedal,  qualidade dos componentes é evidente. A capacidade de volume nos 2 canais é impressionante, com o ganho a meio não precisamos de chegar com o volume a um valor muito alto para igualar o volume do instrumento, o que nos dá uma grande margem até ao máximo. O controlo da dinâmica à entrada do pedal é impecável, conseguimos controlar, apenas com o toque, a intensidade do som e, através do trabalho com o volume da guitarra, podemos facilmente ir do som limpo ao overdrive sem mexer no controlo de ganho do pedal. O Hot Wired é de uma fiabilidade sónica a 100%.

SPECS | 2 switches, Canal 1 e 2; Drive, Tone, Volume e Bass Boost para cada canal; 1 Input Jack MONO; 1 Output Jack MONO; Pode ser alimentado por pilha de 9v, ou por transformador opcional de 9V DC; Chassis todo em metal.

Entre a linha guitarra-amplificador e guitarra-pedal-amplificador não existe diferença de timbre nem de volume de entrada no amp, com o switch desligado claro.

SOM & PERFORMANCE | O desempenho do Tone utiliza a 100% toda a acção do knob, desde os graves aos agudos; os switches de Bass Boost são bem focados, dando uma versatilidade ao pedal incrível – podemos adaptá-lo a qualquer conjugação de guitarra-amplificador que contamos sempre com um bom corpo nas tonalidades trabalhadas no pedal. Depois, além da excelente prestação que dos 2 canais, conseguindo óptimos resultados com os variados estágios de ganho [desde o Boost, passando pelo crunch de blues, o overdrive de classic rock, à distorção moderna], quando juntámos os dois, obtivemos sonoridades incríveis e levámos ao extremo a distorção, o Hot Wired correspondeu ao mais alto nível, mantendo a definição e o corpo do som.

Este teste foi publicado na íntegra na edição nº 17, com a descrição das características do pedal e respectivos pontos fortes e fracos.

EGITANA