Black Keys para uns, Lonely Boy para outros

2014-07-11, Passeio Marítimo de Algés, Lisboa
Nero
7
  • 7
  • 8
  • 6
  • 7

Entre as dúvidas que parecem assolar a banda e afectar a prestação do seu núcleo dual, as músicas de “Turn Blue” soaram melhor do que a maioria das reviews querem fazer crer e o encore acabou por salvar o concerto.

O poder de uma canção rock, é uma coisa curiosa e única. Antes de “Lonely Boy”, o concerto dos Black Keys parecia estar a passar despercebido a cerca de metade do público em frente ao palco principal. Dan Auerbach e Patrick Carney poderiam estar nus em palco que essa metade do público (da régie, para trás) parecia estar mais interessada em olhar para o ecrã de mensagens gratuitas oposto ao palco. Entre conversas e copos,apenas houve algumas reacções mais entusiasmadas a “Gold On The Ceiling” ou “Howlin’ For You”, então surgiu o super single de “El Camino” e foi ver as atenções concentradas no palco, gente a surgir no público em correria vinda de trás, estava na hora de serem do rock, das selfies, de imitar o afro-americano e os seus dance moves no vídeo oficial…

Os temas novos, tão criticados, são os que soam com mais autenticidade e compromisso, especialmente a própria “Turn Blue” e a boogie woogie “Gotta get Away”.

De volta ao concerto, a banda parece ter transposto, se é que isso é possível, inseguranças provenientes da recepção algo dura ao novo álbum. Pouco segura, refugiada nos sucessos dos três álbuns anteriores, álbuns que a “colocou” como headliners de cartazes e a retirou de bares para salas gigantes. Estratégia? Certamente, mas curiosamente são os criticados temas novos que soam com mais autenticidade e compromisso, especialmente a própria “Turn Blue” e a boogie woogie “Gotta get Away”.

Ainda assim, Dan Auerbach parece mais crente, na mudança que os Black Keys estão a sofrer, que Patrick Carney. O baterista (fosse descrença, cansaço ou qualquer outro motivo) nunca conseguiu bater com a força e “convicção” que mostrou, por exemplo, no Atlântico vai para dois anos. O frontman, mostrou que a “nova” voz não é uma coisa de estúdio e que a ligação entre as vocalizações e as estruturas mais desenvolvidas está trabalhada, sendo capaz de uma performance sem falhas dinâmicas.

Depois da apoteose com “Lonely Boy”, como que a fazer jus ao título, o público parecia servido e a grande maioria debandou, deixando a banda algo sozinha. Kudos a quem, lá na frente, insistiu no encore que permitiu vislumbrar a essência sonora da banda, com a épica “Little Black Submarines” e o super groove de “I Got Mine”.

SETLIST

  • Dead and Gone
    Next Girl
    Run Right Back
    Same Old Thing
    Gold on the Ceiling
    It’s Up to You Now
    Strange Times
    Money Maker
    Bullet in the Brain
    Turn Blue
    Howlin’ for You
    Nova Baby
    Gotta Get Away
    She’s Long Gone
    Tighten Up
    Fever
    Lonely Boy
  • Little Black Submarines
    I Got Mine