Estudo: 50% dos novos guitarristas são mulheres

Estudo: 50% dos novos guitarristas são mulheres

António Maurício

A informação foi recolhida através de um estudo efectuado pela Fender nos Estados Unidos da América e no Reino Unido.

A balança de géneros no panorama das guitarras está actualmente equilibrada. De acordo com a Fender, 50% de novos aspirantes ou iniciantes na guitarra são mulheres. No entanto não foram divulgados dados sobre a idade ou outro tipo de dados demográficos. O estudo foi efectuado nos Estados Unidos da América e no Reino Unido, com a ajuda da consultora Egg Strategy e espelhou os resultados obtidos em 2015, momento em que a Fender começou a apostar em relações com artistas do sexo feminino (Warpaint ou Bully, por exemplo).

De acordo com a Rolling Stone, Andy Mooney, CEO da Fender, afirmou que – «O facto de que 50% dos novos compradores de guitarra no Reino Unido são do sexo feminino foi uma surpresa para a equipa do Reino Unido, mas é uma situação idêntica a que se vê nos Estados Unidos. Existe também esta ideia, que as pessoas referem como o ‘Efeito Taylor Swift’, que justifica esta de percentagem de 50% como uma situação temporária e invulgar. De facto, não é. Pelo que sei, a Taylor já seguiu em frente e toca menos guitarra em palco em comparação com o seu passado. Mas as mulheres continuam presentes em 50% das novas vendas de guitarras. Por isso o fenómeno tem pernas para andar e está a acontecer mundialmente.»

O estudo em questão também concluiu que 72% dos guitarristas agarraram numa guitarra pela primeira vez para ganhar uma nova proficiência ou para desenvolvimento pessoal; 61% simplesmente desejam aprender músicas por si próprios ou com amigos próximos e/ou família e não aspiram ser músicos profissionais, 42% afirmam que a guitarra faz parte da sua identidade. Dados que a AS já havia exposto, também através de declarações de Mooney.

Apesar da venda de guitarras ter diminuído em relação à sua era dourada (com acontecimentos recentes como a Bancarrota da Gibson), a empresa de estudos IBISWorld reconhece que a produção de guitarras na América tem aumentado nos últimos anos. De acordo com a mesma, a quota de mercado da Fender nos Estados Unidos no fabrico de guitarras em 2017 estabelecia-se nos 37.2%, alcançando o primeiro lugar à frente da Gibson (32.8%), C.F. Martin (10.9%) e Taylor Guitars (9.3%).

Este estudo da Fender vem legitimar uma aposta da marca, assumida com maior vigor na Winter NAMM em 2017, quando a AS em exclusivo nacional, conversou com um dos rostos femininos da marca, em Anaheim, na Califórnia.

EGITANA