Behringer Pede Desculpa por Campanha de Bullying

Behringer Pede Desculpa por Campanha de Bullying

Nero

A Behringer viu-se forçada a emitir um pedido de desculpas, após ter sofrido uma avalanche de acusações que consideravam uma das suas mais recentes campanhas ofensivas e intimidatórias em relação a um jornalista de tecnologia musical.

No passado dia 02 de Março de 2020, a Behringer publicou um mockup de um vídeo de lançamento de produto, para um sintetizador intitulado KIRN CorkSniffer. Se a intenção da marca era brincar com o snobismo que existe no mundo da sintetização, muita gente considerou o vídeo um ataque directo a Peter Kirn, experiente jornalista de tecnologia musical e dono do reconhecido blog Create Digital Music. A marca acabou por eliminar o vídeo dos seus canais oficiais, mas, já se sabe, uma vez na internet, para sempre na internet.

Especula-se que esta acção da Behringer foi uma vingança sobre Kirn, por este ter noticiado as falhadas tentativas de processar um empregado da empresa rival Dave Smith Instruments e também membros do fórum GearSlutz.

A Behringer havia já lançado teasers nas redes sociais a outros produtos “KIRN”, para troçar do jornalista. Diz-se ainda que, no final de 2019, a marca avançou com a papelada para registar os modelos de synths “KIRN” em território europeu. A confirmar-se seria uma clara medida de perseguição, afinal Peter Kirn não lança produtos usando o seu nome, mas é um dos criadores da gama de sintetizadores e produtos MIDI MeeBlip.

Antes de remover o vídeo, a Behringer insistiu que este se tratava apenas de uma pequena diversão carnavalesca, evocando Pinóquio e vinho. A débil explicação convenceu pouca gente e seguiu-se uma torrente de críticas online, com muitos indivíduos a garantirem terem cancelado encomendas e muitos outros a jurarem nunca mais comprar produtos da Behringer.

As coisas escalaram severamente, ao ponto de surgirem alegações de que a caricatura do boneco narigudo estampada no CorkSniffer possui um tom de antissemitismo. Seja como for, a decisão da Behringer em publicar o vídeo foi uma bomba que explodiu nas mãos da marca que, com praticamente todo o mundo da música a apoiar Kirn, se remeteu ao silêncio.

A excepção foi um comunicado de Uli Behringer no Facebook, onde se lê:

«Permitam-me responder ao vídeo publicado hoje. Ao longo de 20 anos, Peter Kirn e a Behringer mantiveram uma relação, no mínimo, “interessante”. Aquilo que se pretendia meramente como sátira no nosso departamento de marketing, ofendeu de forma clara imensas pessoas e, vendo o vídeo, consigo perceber porquê. Contudo, nunca foi intenção da nossa equipa fazer quaisquer conotações com o semitismo, como algumas pessoas alegam. Deixamos as nossas mais sinceras desculpas ao Peter e a qualquer um que se tenha sentido ofendido».

Ainda assim, se a intenção era aplacar a ira da internet, as coisas sairam furadas e surgiu uma nova vaga de críticas ao facto de Uli Behringer culpar o seu departamento de marketing em vez de assumir pessoalmente a responsabilidade pelo sucedido e considerando inconcebível que este não soubesse da existência do vídeo antes da sua publicação.

A marca tem lançado produtos que lhe granjearam admiração, como o Poly D ou o TD-3, mas este episódio é passível de deixar marcas duradouras.