Festival Porta-Jazz 2021 em Julho no Porto

Festival Porta-Jazz 2021 em Julho no Porto

Redacção

“Da Janela saem pássaros” é o lema da 11.ª edição do Festival Porta-Jazz, que está de volta em Julho para ocupar os Jardins do Palácio de Cristal, no Porto. Serão 14 concertos (gratuitos) em três dias.

O Festival Porta-Jazz está de regresso, de 23 a 25 Julho, numa edição adaptada à nova realidade a partir dos Jardins do Palácio de Cristal. Segundo a organização, o lema desta 11.ª edição do evento é “Da Janela Saem Pássaros”, em jeito de reacção às contingências provocadas pela pandemia da Covid-19, mas que serve, também, para «sintetizar o princípio por detrás de um profícuo trabalho da Associação Porta-Jazz, com mais de uma década, que tem deixado a sua marca no tecido criativo do Porto e contribuído decisivamente para o seu reconhecimento internacional».

“Da Janela Saem Pássaros” porque, num ano em que a arte ficou confinada e em que quase toda a música ao vivo ficou em suspenso, tentando substituir o calor do encontro pela distância, impessoal, dos livestreams, «a Porta-Jazz fez destas limitações a sua força – editando, em 2020, um álbum com 39 solos de músicos que transformam o seu lar em estúdio e se mantiveram “De porta aberta”, a par de outros 10 CDs com o selo Carimbo. Esta edição será isso mesmo: a extensão natural da casa da Associação Porta-Jazz».

No primeiro dia, 23 de Julho, pelas 21h30, o Vessel Trio de Hery Paz, Javier Moreno e Marcos Cavaleiro vai apresentar o seu registo de estreia, seguindo-se o concerto do super-grupo Coreto, que vai estrear as encomendas feitas a João Grilo, João Mortágua, Catarina Sá Ribeiro e Nuno Trocado.

No dia 24 de Julho, a tarde começa às 16h00 com actuação de Filipe Teixeira Trio e o álbum “TAO”, seguindo-se a criação em residência “Vazio e o Octaedro” de Josué Santos e Gianni Narduzi. Às 18h15, é a vez do Ensemble Robalo/Porta-Jazz, criado para o momento, e ainda de Nuno Campos apresentar o registo “Tacatarinaten”. À noite, pelas 21h30, Miguel Rodrigues mostra “Empa”, e depois é tempo de ouvir a encomenda feita pelo festival a Hristo Goleminov.

O Festival Porta-Jazz termina a 25 Julho com um concerto de Hugo Raro, às 16h00, com o disco “Connecting the dots”; seguido do grupo de novos músicos liderado por Yudit Vidal com “Canto das Sereias”. Às 18h15, sobe ao palco João Martins com o seu “Hundred Milliseconds”, seguido de Mazam com “Land”. Às 21h30, João Pedro Brandão apresenta “Trama no Navio”, e André Silva encerra esta 11.ª edição com a apresentação de “The Guit Kune Do”.

Ao longo de três dias, serão apresentados 14 concertos nos diferentes palcos, num total de 60 músicos envolvidos. Haverá espaço para mostrar diferentes propostas estéticas que vão do Jazz mais tradicional à mais pura e livre improvisação, passando pela Música Contemporânea ou por caminhos apoiados no groove, a interacção de talento local com gente dotada, oriunda de outros pontos do país e do estrangeiro.

A entrada para os concertos é gratuita, embora a lotação seja limitada de acordo com as recomendações da Direcção Geral de Saúde. O Festival Porta-Jazz – inicialmente agendado para Fevereiro no Rivoli – está integrado no ciclo Warm-Up e conta com o apoio da Câmara Municipal do Porto.

Mais informações aqui.

EGITANA