Lee Konitz, Lenda do Jazz Sucumbe ao Coronavírus

Lee Konitz, Lenda do Jazz Sucumbe ao Coronavírus

Redacção

Morreu o ilustre saxofonista Lee Konitz. O último músico sobrevivente das sessões do histórico “Birth Of Cool”, de Miles Davis, com várias ligações ao jazz português, é mais uma vítima do infame coronavírus.

Morreu Lee Konitz, um dos maiores vultos do jazz, saxofonista exímio na improvisação, e propulsor do post-bop e cool jazz. Aliás, Konitz era o último sobrevivente das sessões de “Birth Of Cool”, icónico álbum de Miles Davis. O músico tinha 92 anos de idade, estava internado num hospital nova-iorquino e faleceu após complicações resultantes de pneumonia por coronavírus. O seu filho, Josh Konitz, confirmou a triste notícia.

Ao longo da sua histórica e influente carreira, Konitz passou várias vezes no nosso país, a mais recente tendo sido no Guimarães Jazz, em 2014. A ligação ao nosso país foi profunda. Em 2007, o álbum “Portology” (cujo título é bastante elucidativo) teve participação de dois ilustres músicos portugueses, o guitarrista André Fernandes e o multi-instrumentista Mário Barreiros. Esse disco germinou dos vários anos de colaboração com a Orquestra Jazz de Matosinhos. Mas poderíamos recuar até aos anos 90 e aos Hot Clube, acompanhado por Pedro Madaleno (guitarra), Carlos Barretto (contrabaixo) e Philippe Soirat (bateria).

Ainda em 2018, com 90 anos de idade, embarcou numa digressão europeia. O seu último concerto foi no dia do 92º aniversário, a 13 de Outubro de 2019. Junta-se a Ellis Marsalis e Wallace Roney, entre os notáveis do jazz que o coronavírus nos roubou. Descanse em paz.