Nova Malha dos King Gizzard & The Lizard Wizard

Nova Malha dos King Gizzard & The Lizard Wizard

Redacção

Os King Gizzard & The Lizard Wizard têm uma nova canção, “O.N.E.”.

A banda australiana está de volta com mais uma canção, acompanhada por um vídeo devidamente inventivo com efeitos de colagem e stop-motion. A musicalidade visceral e psicadélica da banda move a canção através de várias atmosferas, desde os sons de embalar até a uma espécie de sonoridade proveniente do Médio Oriente. O vídeo que acompanha “O.N.E.” foi realizado por Alex McClaren e nele pode ver-se os membros dos King Gizzard & The Lizard Wizard imersos numa colagem colorida de imagens recortadas e edições em stop-motion.

«A música em si parece estar em constante movimento, por isso tentei manter o visual continuamente em movimento e deslizar para diferentes estilos visuais e paisagens», disse McClaren num comunicado de imprensa. «Senti a mistura de stop-motion e colagem através do uso de imagens diversas e quis ilustrar sonhos, pesadelos, alterações climáticas, distopias e utopias, bem como referenciar eventos que tiveram lugar durante a realização do vídeo ao longo de 2020». Alex McClaren falou também da produção que teve lugar durante o segundo confinamento e dos desafios de realização que esse acontecimento apresentou. «Tive de dar notas sobre filmagens e dirigir à distância, o que foi estranho».

Os sempre prolíficos King Gizzard & The Lizard Wizard continuam a produzir nova música a um ritmo vertiginoso, tendo recentemente lançado outra nova canção/vídeo, “If Not Now Then When?”, no seguimento da edição do seu 16º álbum, “K.G.”, lançado no final do ano passado. Em relação aos rumores sobre o inevitável 17º disco, o líder da banda Stu MacKenzie disse que ainda não está para sair. «O novo álbum definitivamente não vai sair em Fevereiro», disse Mackenzie no comunicado de imprensa relativo a “O.N.E.”.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.

EGITANA