Pussy Riot Têm Canção Nova Para Exigir Libertação de Presos Políticos na Rússia

Pussy Riot Têm Canção Nova Para Exigir Libertação de Presos Políticos na Rússia

Redacção

A banda punk rock russa escreve canção em que pede a libertação do líder da oposição a Putin, Alexei Navalny, e do colega de banda Masha Alekhina, detido no ano passado após manifestação na Bielorrúsia.

Ano novo, a mesma Rússia. E por isso a banda Pussy Riot está de volta com “Rage”, uma canção que serve para protestar contra, segundo a banda, a repressão e corrupção do governo de Vladimir Putin. A faixa dirige a raiva da banda punk contra a detenção de um certo número de prisioneiros políticos. Especificamente, um comunicado de imprensa apela à libertação imediata do líder da oposição recentemente envenenado e preso Alexei Navalny, bem como do colega de banda Masha Alekhina, que se encontra em prisão domiciliária.

Numa reviravolta irónica do destino, a filmagem do vídeo de “Rage” foi proibida pelas autoridades. Realizada num estúdio de São Petersburgo, a filmagem apresentava mais de 200 activistas LGBTQ+, e foi rapidamente atacada pela polícia por se entender que fazia «propaganda gay». A polícia desligou a energia do edifício e Nadya Tolokonnikova, dos Pussy Riot, que realizou e editou o vídeo, foi detida juntamente com outros 12 participantes durante cinco horas. Não surpreendentemente, os Pussy Riot utilizou a pequena filmagem que capturaram de qualquer forma como refutação à censura.

Em 2020, as Pussy Riot lançaram duas novas canções. A primeira, intitulada “1312”, viu a banda unir-se a um punhado de outros músicos para combater a brutalidade policial. A outra, apelidada de “Riot”, foi inspirada pela Black Lives Matter.

EGITANA