AS10: Cantigas para pais e filhos

AS10: Cantigas para pais e filhos

Redacção

Não tens nada para oferecer no Dia do Pai? Canta-lhe uma destas.

Não passem o Dia do Pai sem oferecer um gesto. Seja um telefonema, um desenho feito com massinhas ou uma palmadinha nas costas.

Aqui na Arte Sonora, gostamos de oferecer música. Para celebrar a ocasião, fizemos uma compilação de cantigas sindicadas para homenagear os pais no seu dia especial.

NEIL YOUNG – OLD MAN
Uma das músicas mais emblemáticas de Neil Young é a que compôs sobre o envelhecimento. “Old Man” revela o receio do músico ao aperceber-se que, com o passar do tempo, está a desenvolver características semelhantes à de um velho agricultor a quem comprou um terreno.


CROSBY, STILLS, NASH & YOUNG – TEACH YOUR CHILDREN

Outra música originalmente gravada com Neil Young, “Teach Your Children” foi composta por Graham Nash para o álbum “Déjà Vu” e conta com a colaboração especial de Jerry Garcia. É uma canção sobre os pais que partem para a guerra e o trauma que isso pode deixar numa criança. Fica então a mensagem: Ensinem bem os vossos filhos e dêem a entender que são amados.


SUN KIL MOON – I LOVE MY DAD

Goste-se ou não de Mark Kozelek, o álbum “Benji” é uma obra bem conseguida dentro do seu registo mais folk. “I Love My Dad” é uma música de reconciliação que escreveu sobre o pai, descrevendo as diferenças das suas vivências, mas também as semelhanças nas lições que dão aos filhos.


PAUL SIMON – FATHER AND DAUGHTER

Quem diria que Paul Simon ainda tinha energia para mais um êxito em 2006? “Father and Daughter” é o nome da música integrada no filme de animação “The Wild Thornberrys Movie” sobre paternidade e é dedicado à sua filha, Lulu. Para tal, Simon conta com a ajuda do filho, Adrian, nos back vocals. 


PEARL JAM – ALIVE

O single do álbum “Ten” é mais autobiográfico do que parece. Eddie Vedder compôs a letra de “Alive” baseando-se na altura em que descobriu que o seu próprio pai era, na realidade, o seu padrasto e que o seu pai verdadeiro tinha morrido.


CAT STEVENS – FATHER & SON

Cat Stevens põe em diálogo a voz de um jovem sedento de liberdade e de desejo de independência e a voz de um pai sábio, com experiência de vida, cheio de conselhos para o filho. Stevens capta assim o momento de desprendimento de um filho em relação ao pai, e da eventual tristeza que isso lhe pode provocar: “stay stay stay, why must you go and, make this decision alone?”.


BRUCE SPRINGSTEEN – MY FATHER’S HOUSE

Bruce Springsteen tinha uma relação difícil com o pai, e esta canção fala sobre ultrapassar esses problemas e abrir-se para ele. “I awoke and I imagined the hard things that pulled us apart, Will never again sir tear us from each others hearts”.


ERIC CLAPTON – MY FATHER’S EYES
Há quem nunca tenha conhecido e visto os olhos do seu pai. Esta é também a história de Eric Clapton. Clapton nunca conheceu o pai, na sua autobiografia descreve a letra de “My Father’s Eyes”: «Tentei descrever o paralelo entre os olhos de meu filho e os olhos do meu pai, que nunca conheci, através da cadeia do nosso sangue». O filho de Clapton faleceu apenas com 4 anos, e o músico dedicou-lhe “Tears in Heaven”.


QUEEN – FATHER TO SON

Esta música de Queen, do álbum Queen II, fala daquilo que um pai tem para mostrar e dizer ao filho, da sua herança cultural e de valores, mesmo que muitas vezes o filho não oiça ou não compreenda. “Take this letter that I give you/ Take it sonny hold it high/ You won’t understand a word that’s in it/ But you’ll write it all again before you die”. “A word in your ear From father to son / Funny you don’t hear A single word that I say / But my letter to you Will stay by your side.”


MOONSPELL – THE FUTURE IS DARK
Por fim, uma música de pai para filho. Um dos maiores medos de um pai que se preze, é o futuro daquele pequeno ser que acabou de nascer e que não conhece o mundo em que está inserido. Em “Extinct” dos portugueses Moonspell, encontramos “The Future is Dark”, uma letra mais pessoal e que corta com a temática lírica usual da banda. Fernando Ribeiro confessa que esta música é uma carta para Fausto, o seu filho, com o intuito de o precaver do futuro. “Oh, my son too young to understand/That life is dark sometimes/There is just not enough light.” “The future is dark, the future is vile/Without you there’s no tomorrow”.