Shure MOTIV MV7

Shure MOTIV MV7

Redacção

Inspirado no lendário SM7B, o Shure MV7 é um microfone híbrido XLR e USB, ideal para podcast e gravação profissional em Home Studio.

Se são batidos em microfonia, sabem muito bem porque se diz «o lendário SM7B». Se não são, permitam-nos uma síntese desse micro. O Shure SM7B, o campeão de vendas da Shure antes do SM58 se afirmar, é um microfone padrão para vozes “roqueiras” desde que surgiu em 1976.

O seu momento de glória, e prova de versatilidade, foi o uso recorrente num dos maiores álbuns da história da música, o “Thriller”. É um cardióide dinâmico com uma resposta de frequências ainda mais ampla que o 58, entre os 50 – 20.000 Hz, de 150 Ohms. Possui switch para atenuar graves e também um boost de médios.

Pois bem, parte da gama MOTIV, o Shure MV7 é um microfone facilmente controlável, despido que de botões e switch; em vez disso, a Shure equipou o micro com um painel táctil percorrido por uma fila de luzes LED para indicar o nível de ganho. O painel também inclui um alternador de mute para ajustes em tempo real.

No fundo do micro encontram-se uma saída de XLR, uma microUSB e uma para auscultadores. Apresenta outras características mais “premium” herdadas do SM7B, como resposta de frequências ajustável – embora, com o MV7, seja necessário descarregar o aplicativo ShurePlus MOTIV para o fazer.

O painel táctil é fixe visualmente, embora menos eficaz do que os botões, marcadores e switches normais. É difícil fazer ajustes de volume enquanto se fala, porque para o fazer são necessárias duas mãos – uma para segurar o microfone e a outra para deslizar ao longo do painel táctil.

Embora o processo não seja um bicho-de-sete cabeças, o problema reside em que tocar o microfone introduz ruído indesejado na gravação, daí a função. De qualquer forma, é sempre mais indicado ajustar os níveis e colocação do micro antes de começar a gravar, obviamente e independentemente do microfone que usam.

Uma das melhores características do MV7 é a capacidade para usar simultaneamente as saídas XLR e USB. Isto significa que se pode guardar um ficheiro de baixa resolução para referência através de USB e um ficheiro de alta resolução para pós-produção com a ligação XLR. Excelente se, por exemplo, não tiveres tempo para editar um ficheiro áudio ou se este sair perfeitinho ao primeiro take. Além disso, é bom ter uma referência se estiveres a gravar uma conversa com intuito de a transcrever.

O Shure MV7 vem preparadíssimo para começar a gravar mal o tirem da caixa e instalem num suporte. Naturalmente, se quiserem gravar de modo analógico precisam de ter cabos XLR, quando a gravar digitalmente, a Shure inclui um cabo USB-A para microUSB, e um cabo USB-C para microUSB com o micro. Tal como o SM7B, este modelo não requer alimentação Phantom Power.

Podem descobrir mais sobre este belíssimo microfone no site oficial da Shure ou inscrevendo-se no webinar que a Arte Sonora está a promover com a EARPRO, a realizar no dia 30 de Março de 2021, às 17h (hora nacional), no Instagram oficial da AS, se o fizerem habilitam-se ainda a ganhar um destes Shure MOTIV MV7. Podem inscrever-se AQUI.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.

EGITANA