A riqueza harmónica dos Rainmaker e o ascetismo dos Hexis

A riqueza harmónica dos Rainmaker e o ascetismo dos Hexis

2014-10-03, Stairway Club
Nero
8
  • 8
  • 7
  • 10

Dois concertos tão curtos quanto intensos, arrasaram o Stairway Club na passada 6ta feira. Entre a beleza do som de guitarra dos Rainmaker e a parede de amplificação dos Hexis, se esta sessão de warm-up servir como indicador do que nos espera no Burning Light Fest, em Fevereiro, teremos um festival capaz de abalar as fundações da capital portuguesa.

Os Rainmaker abriram o concerto da mesma forma que sucede no seu álbum de estreia. Aqui, tal como em “Alienation”, os cruzamentos dedilhados de “Abolish…” serviram de preâmbulo melódico à descarga emocional de “Still Waters Run Deep”. “Les Poids Des Ombres” é tema novo, o título é elucidativo, entre os suecos habita um francês. Vivien tem um som de guitarra lindíssimo, cheio e harmonicamente rico. O francês usa um colossal Sunn Model T a amplificar uma simples Fender Telecaster Thinline Deluxe, modelo mexicano já fora de produção. O headroom colossal do amp faz parecer que um set de pedais tão reduzido como um Hall of Fame, reverb da TC Electronics, e um Ibanez Delay/Echo, está a soar numa catedral e não numa cave. Numa actuação no limite da entrega física, os Rainmaker conseguem soar mais pesados do que a afinação standard, em Mi, faria pressupor. “Rather Die Young Than Die Young At Heart” e “Relinquish Your Grip On The Rope, You Won’t Fall” encerram um set demasiado curto.

A potência épica dos Hexis foi capaz de silenciar até os pensamentos, no volume… silêncio.

O altar de high gain erigido pelos Hexis criou uma parede de som esmagadora. Bruto, rápido, pesado, destruidor, o novo álbum, “Abalam”, cresce exponencialmente ao vivo. Capazes de criar uma aura de opressão, fascínio e terror, os dinamarqueses deram um concerto tão curto quanto inesquecível. “Seputus” foi a única peça do anterior “XI”. As razões para um set tão pouco desenvolvido são-nos explicadas – a meio da tour, na Alemanha, o quarteto viu-se obrigado a trocar de baterista e, durante uma pausa forçada de 3/4 dias, “criar” um vendaval sonoro com o novo elemento. Em grego clássico, hexis é um “estado”, uma permanência ontológica… o hábito. A banda, mesmo com essas condições foi capaz de estar plenamente no seu “estado”. Através de um fanatismo de volume (no soundcheck a banda pedia «muito mais guitarra em todo o lado»), os Hexis foram capazes oferecer à audiência vias de transcendência e de ascetismo. A potência épica da banda foi capaz de silenciar até os pensamentos, no volume… silêncio.

SETLIST

  • RAINMAKER
    Abolish…
    Still Waters Run Deep
    Les Poids Des Ombres
    Rather Die Young Than Die Young At Heart
    Relinquish Your Grip On The Rope, You Won’t Fall
  • HEXIS
    Tenebris
    Seqax
    Exterminati
    Supplex
    Abalam
    Seputus