Spoon: A maturidade Musical

Spoon: A maturidade Musical

2017-07-08, NOS Alive, Passeio Marítimo de Algés
Carlos Garcia
8
  • 8
  • 8
  • 7
  • 7

Antes de regressarem para um  concerto definitivo nos Coliseus, os Spoon deixaram um cheirinho no NOS Alive.

Uma de muitas bandas que trouxe um álbum fresco para apresentar, estes veteranos do Indie rock da abençoada Austin chegam ao palco de fatos negros, garra com canções e voz para dar e vender. Uma banda com quase um quarto de século de carreira que nunca se tornou complacente. O vocalista Britt Daniel entra com a segurança de quem sabe pisar um palco e colocar a voz: o cativante “Do I Have to Talk you Into It” é a música perfeita para abrir as hostilidades, seguido do planante “Inside Out” do álbum anterior “They Want my Soul”.

As novas músicas inserem-se na perfeição no corpo geral do seu repertório: “I Ain’t the One” é marcado pela voz rasgante de Daniel e pelos teclados ambientais de Alex Fischel. “Can I Sit Next to You” são os Spoon na sua versão cool sexy, com o baixo funky a contrastar com o experimentalismo minimal das teclas poderia ter lugar no repertório de um “Childish Gambino”. “Hot Thoughts”, o tema título, é a prova perfeita de como uma banda pode reinventar-se a cada novo disco sem nunca perder a a identidade.

“Do You” é uma daquelas gemas desconhecidas do pop, que bem promovidas seria um sucesso garantido: teclados românticos, ritmo dançável e o “do do do” em falsete do refrão.

A banda encerra com mais um pérola do último álbum, “First Caress”, de baixo galopante e mais uma vez dançável. Despedem-se com a promessa do retorno em Novembro e a referência a este ter sido o melhor concerto  da actual tournée. Terão ganho no espaço do Heineken alguns novos fãs que já marcaram o seu lugar para as Portas de Santo Antão.

Fotos: Tomás Lisboa