At The Drive-In, Estridência e Cocaína

At The Drive-In, Estridência e Cocaína

2018-07-14, Passeio Marítimo de Algés, NOS Alive
Nero
Inês Barrau
8
  • 9
  • 8
  • 7
  • 8

A selvajaria de médios e agudos manteve os fracos à distância no concerto de At The Drive-In. Levar porrada não é para todos.

Muito se tem referido o “efeito pinheiro” do concerto dos Pearl Jam no NOS ALIVE ’18 e nenhum outro concerto terá sido tão afectado como o de At The Drive-In, no Palco Sagres. Com Vedder e companhia a alargarem consideravelmente o seu set, a banda liderada pelo irascível Cedric Bixler-Zavala começou quase meia-hora depois do horário marcado. Segundo algum “diz-que-disse”, os At Drive In armaram confusão no backstage, recusando-se subir a palco sem ninguém presente e com os Pearl Jam ainda a tocar.

E, antes de “One Armed Scissor”, o tema que encerrou um curtíssimo concerto, Bixler-Zavala atirou culpas à organização e à banda de Seattle: «Queríamos tocar mais para vocês, mas a m*erda dos Pearl Jam demorou demasiado. Culpem esses gajos (enquanto apontava para os logos que ladeavam o palco). Fiquei sem cú, para o Eddie Vedder», exclamou enquanto baixava as calças e dizia que o concerto de Pearl Jam foi quase tão longo como o seu pénis.

Por essa altura, a plateia estava reduzida a cerca de duas centenas de pessoas, após alguns incautos terem fugido, literalmente, do estridente vendaval post hardcore promovido pela banda. À nossa frente um trio de amigos, torcia os narizes uns aos outros enquanto se apressava a abandonar o espaço.

Com o backline completamente envolto em filme extensível de plástico, os At The Drive In foram frenéticos e o seu frontman esteve maníaco durante o concerto. Duvidamos que o microfone que usou tenha sobrevivido à porrada que levou. “Sleepwalk Capsules”, “Pendulum In A Peasant Dress”, “No Wolf Like The Present” e pouco mais, misturaram o feroz “Relationship of Command” com “In•ter A•li•a”, o recente álbum que quebrou um hiato de 17 anos. A selvajaria de médios e agudos manteve os fracos à distância do concerto da banda mais deslocada em todo o festival.

Para os que suportaram três dias de festival para os ver, o concerto foi explosivo, mas soube a pouco.