Zatokrev no país de Celtic Frost

Zatokrev no país de Celtic Frost

2015-05-02, SWR, Barroselas
Nero
9
  • 9
  • 8
  • 8
  • 10

Arrasadores e luminosos.

Ainda bem que os suíços são neutros na geo-política mundial, porque se andassem envolvidos no tabuleiro do xadrez social e económico, seriam um caso sério. Pelo menos, a julgar pelas bandas que surgem ali… A sério, Young Gods, Samael, Coroner. Para nem falar de Gabriel Fischer, com Hellhammer e os axiomáticos Celtic Frost que, já agora, estão omnipresentes na sonoridade dos Zatokrev (e de mais meio mundo do metal europeu). Dentro das sonoridades post, e para não deslustrar da tradição do país, os Zatokrev voltaram (pela 4ª vez?) ao nosso país mostrar o leviatã sonoro e melódico em que se estão a tornar, álbum após álbum, tour após tour.

Som demolidor e temas emocionalmente devastadores, num set em crescendo de intensidade.

A banda, frontalizada por Frederyk Rotter, a empunhar uma rara Dean Avalanche 7 (uma sete cordas que nos deixou de queixo caído, com a solidez debitada pelos seus Seymour Duncan e a proximidade à versatilidade de uma MusicMan), deu como que um novo concerto. Foi como que uma nova banda para quem já os conhecia. Com uma secção rítmica carregada de ataque e força, o curto set foi focado no novo álbum, “Silk Spiders Underwater…”, a ressoar poderoso e em crescendo, até ao longo e épico “Goddam Lights”. O tema (se não conhecem vão ouvi-lo em repeat) que abre o anterior LP, “The Bat, the Wheel and a Long Road to Nowhere”, encerrou de forma portentosa um dos concertos com melhor som e maior riqueza harmónica desta edição do SWR.

Este set foi o que deixou a sensação de ter sido o mais curto de todo o festival, estará na altura de voltarem num concerto próprio…

SETLIST

  • Discoloration
  • Swallow The Teeth
  • Bleeding Island
  • Goddamn Lights