Quantcast
Álbuns Internacionais Mais Aguardados em 2022

Álbuns Internacionais Mais Aguardados em 2022

Nuno Sarafa

A melhor música internacional de 2021 já foi examinada e agora é tempo de olhar para o futuro, é tempo de olhar para alguns dos álbuns internacionais que poderemos conhecer em 2022.

Depois da lista dos melhores álbuns internacionais de 2021, é tempo de olhar em frente e enumerar os discos mais aguardados do novo ano.

O processo de compilação desta lista esteve longe de ter sido uma ciência exacta, já que se baseou em algumas datas de lançamento já confirmadas e ainda em algumas pistas deixadas por vários artistas ao longo dos últimos meses.

De nomes promissores a alguns dos nossos favoritos, confere a lista de alguns dos álbuns que prometem ser a banda sonora de 2022.

Alt-J – “The Dream” | Com data de edição prevista para 11 de Fevereiro, via Infectious Music/BMG, o muito aguardado quarto álbum da banda de Leeds vai chamar-se “The Dream” e sucede a “Relaxer”, de 2017. A mais recente canção a ser revelada, em Novembro, foi “Get Better”. “The Dream” é um álbum inspirado em verdadeiros crimes e histórias de Hollywood e Chateau Marmont, cruzando-se com momentos pessoais da banda. A banda garante que beleza e escuridão caminham lado a lado, muitas vezes misturando-se na mesma faixa.

Arctic Monkeys | No caso do quinteto de Sheffield, os rumores têm sido muitos, mas é praticamente certo que o sétimo álbum dos Arctic Monkeys veja a luz do dia em 2022. Por um lado, Alex Turner e companhia já anunciaram alguns concertos para o novo ano, incluindo o festival Reading + Leeds, em Agosto, e por isso talvez mostrem boa parte do novo material que têm andado a gravar nos últimos largos meses. Por outro lado, o baterista Matt Helders já disse numa entrevista à BBC Radio que o novo álbum está praticamente pronto. É aguardar.

Arcade Fire | Na internet fala-se há largos meses sobre a possibilidade de um novo álbum de Arcade Fire em 2022. Win Butler revelou que a banda canadiana tinha escrito dois ou três álbuns durante toda a quarentena, para além do sucessor de “Everything Now” (2017), que já tinham terminado antes do início da pandemia.

Beach House – “Once Twice Melody” | O oitavo álbum da dupla norte-americana de dream pop e indie rock chega dia 18 de Fevereiro com a chancela da Sub Pop. Será um álbum duplo com 18 canções apresentadas em quatro capítulos, sendo que os primeiros dois já foram revelados.

Band of Horses – “Things Are Great” | Com lançamento agendado para 21 de Janeiro, “Things Are Great” será o primeiro disco de Band Of Horses em quase seis anos. Singles como “Crutch” e “In Need of Repair” sugerem que a espera valeu a pena. O sucessor de “Why Are You Ok” foi anunciado pela banda como um regresso às origens e apoia-se no folk rock que moldou os discos anteriores do colectivo de Seattle. Grande parte da produção ficou a cargo do vocalista, Ben Bridwell, que trabalhou ao lado de antigos colaboradores da banda, incluindo Jason Lytle, Dave Fridmann e Dave Sardy. Espera-se que os Band of Horses venham a Lisboa apresentar o novo álbum em Março.

Björk | Ainda sem título e sem data de estreia prevista, o novo trabalho da islandesa será o sucessor de “Utopia”, de 2017, e diz a artista que foi escrito para quem faz discotecas na sala de estar. Apesar de ainda não existir data de estreia oficial, o centro de espectáculos Pompidou-Metz, em França, anunciou um concerto da cantora em Maio «onde irá apresentar o seu novo álbum», estimando-se assim que a data de lançamento seja por essa altura.

Cure | Robert Smith e companhia não lançam nada novo desde “4:13 Dream”, de 2008, mas a verdade é que o 14º álbum de estúdio dos Cure está na calha há já algum tempo e até já tem um título, ainda que de trabalho: “Live From The Moon”. Ainda assim, Smith está tão seguro que vai editar em 2022 que já agendou uma digressão europeia entre Outubro e Dezembro.

Eels – “Extreme Witchcraft” | Com data de lançamento apontada para 28 de Janeiro via E Works/[PIAS], o 14º álbum da banda de Mark Oliver Everett tem dedo do produtor John Parish (PJ Harvey, Aldous Harding, Dry Cleaning) e sucede a “Earth to Dora” de Outubro de 2020. “Good Night on Earth” foi o primeiro avanço.

Fontaines D.C. | O muito aguardado terceiro álbum destes prolíficos pós-punks está mesmo a caminho. Chega a 22 de Abril e dará origem a uma digressão pela Europa e pelos Estados Unidos. Em Portugal, os Fontaines D.C. têm concerto marcado para 6 de Julho, no NOS Alive, em Algés. Recorde-se que a banda de Dublin lançou “A Hero’s Death” em Julho de 2020, pouco mais de um ano após a sua estreia premiada em 2019, com “Dogrel”.

Father John Misty – “Chloe and the Next 20th Century” | Chega no dia 8 de Abril o quinto disco de Father John Misty e sucessor de “God’s Favorite Customer”, de 2018. Com carimbo Sub Pop/Bella Union, “Chloe and the Next 20th Century” vem colocar assim um ponto final nas “férias” de Father John Misty, se bem que o artista, nascido Joshua Michael Tillman, lançou em 2020 duas novas canções como parte do Sub Pop Singles Club Vol. 5. “To S.” e “To R.” e ainda uma colecção de versões de canções de Leonard Cohen, Yusuf/Cat Stevens e Link Wray, intitulada “Anthem+3”.

FKA Twigs – “Capri Sun” | Tahliah Debrett Barnett, conhecida no mundo artístico como FKA Twigs, vai editar no dia 14 de Janeiro uma mixtape intitulada “Capri Sun”, via Young Recordings/Atlantic. Esta mixtape sucede aos dois únicos álbuns editados pela artista inglesa, “LP1” (2014) e “Magdalene” (2019), e foi anunciada como uma nova era na carreira de FKA Twigs.

Ghost | Os fãs aguardavam ansiosamente desde 2018 por nova música dos suecos e as esperanças aumentaram quando o frontman dos Ghost sugeriu que o novo álbum da banda chegaria durante o Inverno de 2020. Infelizmente, essa linha temporal era demasiado boa para ser verdade, como Forge esclareceu depois numa nova entrevista. Os Ghost acabaram por gravar o novo LP no final de 2020 e início de 2021, com planos para o lançar até final deste anos. Forge prometeu que o lançamento de um novo álbum irá coincidir com o regresso da banda aos palcos, que se espera que seja em 2022.

Jack White – “Fear Of The Dawn” + “Entering Heaven Alive” | Não há fome que não dê em fartura e por isso não será um, mas sim dois discos que Jack White irá editar em 2022 através da sua Third Man Records, começando por “Fear of the Dawn” a 8 de Abril e “Entering Heaven Alive” a 22 de Julho. Vamos!

Kendrick Lamar – “Oklama” | Pouco se sabe acerca do sucessor de “Damn”, disco de 2017 aclamado pelo público e pela crítica. Ainda assim, um comunicado publicado no site oficial de Lamar em Agosto informou os fãs que o artista irá deixar a editora com que trabalhou nos últimos 17 anos, a Top Dawn Entertainment, deixando ainda antever que o título do seu quinto álbum poderá ser “Oklama”.

Kurt Vile | Depois de ter editado nos últimos 12 anos por labels independentes como a Mexican Summer ou a Matador, o cantautor natural da Pensilvânia assinou recentemente contrato com a major Verve, tem datas marcadas para 2022 e os rumores acerca de um novo disco têm crescido nos últimos tempos. Diz-se que será um regresso do antigo membro dos War On Drugs às suas raízes. Seja lá o que isso for, um disco novo de Kurt Vile é sempre bem-vindo.

Megadeth – The Sick, The Dying… The Dead! | O décimo sexto álbum da banda irá chamar-se “The Sick, The Dying And The Dead” e está previsto ser lançado algures em 2022. É o primeiro álbum depois da polémica saída de David Ellefson.

MGMT | Não editam qualquer disco desde 2018 (“Little Dark Age”) e parecem andar mais entretidos a fazer remixes, depois de “Spirals”, dos Django Django, e de “The Look”, como parte das celebrações do 10º aniversário do álbum “The English Riviera”. No entanto, diz-se por aí que Andrew VanWyngarden e Ben Goldwasser já foram para estúdio e que o quinto álbum dos MGMT deve ser editado em 2022.

Placebo – “Never Let Me Go” | O sucessor de “Loud Like Love” chama-se “Never Let Me Go” e será editado a 25 de Março de 2022. Um dos álbuns há muito aguardados em 2022, visto que a banda não edita nenhum disco de originais desde 2013. Já se conhecem dois temas de avanço, “Beautiful James” e “Surrounded By Spies.

Porcupine Tree – “Closure/Continuation” | Nos últimos anos, Steven Wilson tem-se dedicado à sua carreira a solo, mas há muito que os fãs de Porcupine Tree ansiavam por um novo álbum. E em 2022, o sucessor de “The Incident” vai ver finalmente a luz do dia. “Closure/Continuation” será editado a 24 de Junho de 2022. Steve Wilson, Richard Barbieri e Gavin Harrison já divulgaram o single de avanço, “Harridan”.

Spiritualized – “Everything Was Beautiful” | Apontem a data: 25 de Fevereiro. Precisamente 30 anos após a estreia com “Lazer Guided Melodies”, Jason Pierce está de volta com mais música sonhadora e atmosférica, sucedendo assim a “And Nothing Hurt”, de 2018. Apertem os cintos, pois pelo que se lê por aí, parece que está no horizonte uma segunda vida de “Ladies and Gentlemen We Are Floating in Space”.

The Weeknd – “The Dawn” | Dois anos após o mundialmente aclamado “After Hours”, o canadiano Abel Makkonen Tesfaye, aka The Weeknd, vai editar um novo disco, intitulado “The Dawn”, não se sabendo no entanto qual a data do lançamento. O artista premiado diz estar satisfeito com o resultado até ao momento. «Estou mesmo orgulhoso deste!», escreveu no Twitter.

Wet Leg – “Wet Leg” | Ainda é cedo para este tipo de afirmações, mas podemos estar perante uma das bandas mais promissoras de 2022. Depois de quatro entusiasmantes singles em 2021, os Wet Leg vão estrear-se no dia 8 de Abril com o seu primeiro longa-duração, via Domino. Longa se torna a espera.

FENDER