Sérgio Godinho A Partir Tudo no Soam as Guitarras 2020

Sérgio Godinho A Partir Tudo no Soam as Guitarras 2020

Redacção

Estreia de “Os Fadinhos Do Godinho” no festival “Soam As Guitarras” com lotação esgotada. “Ao Vivo No São Luíz”, o lindíssimo disco com a Orquestra Metropolitana de Lisboa mantém a sua posição no top nacional.

A estreia de “Os Fadinhos do Godinho”, o espectáculo que Sérgio Godinho concebeu para a edição de 2020 do festival “Soam As Guitarras”, vai finalmente ocorrer hoje, dia 16, no esgotado Auditório Municipal Ruy de Carvalho, em Carnaxide.

Inicialmente previsto para Abril, posteriormente reagendado para Outubro e finalmente confirmado para Dezembro, “Os Fadinhos do Godinho” são, como o próprio título sugere, uma abordagem ao repertório “fadista” de Sérgio Godinho – é provável que não nos recordemos mas as “Emboscadas” de Camané, são na verdade de Sérgio Godinho. Ou que “Bomba Relógio”, cantada por Cristina Branco, resultou de uma encomenda da própria. Que o “Velho Cantor” que Carlos do Carmo cantou em “Que se fez homem de cantar”, é do Sérgio.

E que “Liberdades Poéticas”, esse tema emblemático de Mísia, e “Fado Triplicado”, da mesma artista, são da pena do “escritor de canções”. Ou ainda que na produção teatral “Fados” de Ricardo Pais, José Pedro Gomes brilhou com a sua interpretação de “Fado Gago”, tema que Sérgio Godinho interpretaria também no disco seu ao vivo “Noites Passadas”. E, claro, alguém lembrado do “Fado do Kilas”, peça fundamental dessa obra que nos mostrou a Lisboa do final da década de 70 do século passado de título “Kilas, o mau da fita” e que foi interpretada no filme por Lia Gama?

Neste novo “pisar o risco” arriscado para o festival “Soam As Guitarras”, Sérgio Godinho rodeia-se de dois magníficos músicos: Bernardo Couto, instrumentista de guitarra portuguesa com larga experiência no mundo fadista e no cruzamento com outras linguagens; e Filipe Raposo, pianista e compositor, responsável pelos arranjos destes “Os Fadinhos do Godinho”, colaborador de Sérgio há já alguns anos, e que tem no recentemente publicado “Ao Vivo No São Luiz”, lugar de merecido destaque. “Os Fadinhos do Godinho”, a partir das 21H00 no Auditório Ruy de Carvalho.

Publicado no final do mês passado, “Ao Vivo No São Luiz” continua a conquistar audiências, ocupando desde a semana de lançamento se mantém em #6 do top nacional de vendas. Actualmente, é o segundo disco de um artista nacional no top. “Ao Vivo no São Luiz” é o registo da série de concertos que o Sérgio deu entre 5 e 8 de Julho de 2018 na Sala Luís Miguel Cintra do São Luiz Teatro Municipal, em Lisboa. O disco capta também a estreia de Sérgio Godinho a actuar ao lado da Orquestra Metropolitana de Lisboa, dirigida pelo maestro Cesário Costa.

Em “Ao Vivo no São Luiz” podemos redescobrir canções emblemáticas do percurso de Sérgio Godinho, com os arranjos orquestrais de Filipe Raposo, bem como a participação dos indispensáveis “Os Assessores” dirigidos por Nuno Rafael. Inicialmente acompanhado pela disponibilização em vídeo de “Com Um Brilhozinho Nos Olhos” , é agora possível reviver no Youtube mais alguns desses momentos mágicos vividos no Teatro São Luiz: “Noite e Dia”, “O Velho Samurai”, “A Deusa do Amor“, “Mariana Pais, 21 Anos”, “A Noite Passada” e “Grão da Mesma Mó”, o tema resultante da parceria com David Fonseca, publicado originalmente no disco “Nação Valente” e que embora recente, se tem destacado na obra de Sérgio Godinho, ganhando nesta versão com a Orquestra Metropolitana de Lisboa, uma dinâmica sinfónica.

EGITANA